UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/08/2010 - 17h57

Ibovespa sobe pelo 3º pregão, em dia "morno" para o mercado

SÃO PAULO - Em um dia pautado pelo vencimento de opções sobre ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), os investidores prosseguiram com o movimento de compras no mercado brasileiro, o que levou o Ibovespa a subir pelo terceiro pregão seguido.

O índice fechou os negócios com valorização de 0,66%, aos 66.701 pontos. O giro financeiro atingiu R$ 8,833 bilhões.

Do total, R$ 3,69 bilhões partiram do exercício de opções sobre ações. Já em Wall Street, as bolsas tiveram um dia de volatilidade e fecharam praticamente estáveis. Enquanto o índice Dow Jones teve queda de 0,01%, o Nasdaq registrou valorização de 0,39%, e o S & P 500 subiu apenas 0,01%.

No front internacional, os indicadores divulgados nos Estados Unidos, referentes à indústria de transformação na região de Nova York e ao mercado imobiliário do país, foram piores que o projetado em agosto.

Por aqui, o vencimento de opções sobre ações impulsionou os preços dos papéis PNA da Vale, que subiram 1,14%, a R$ 43,38, com giro de R$ 568,2 milhões. O gestor de renda variável da Máxima Asset, Felipe Casotti, avalia que, mesmo com o exercício de opções, o volume movimentado na Bovespa foi fraco e que o pregão foi "morno".

"Tivemos um volume baixo para um dia de vencimento. Os indicadores americanos voltaram para o foco do mercado, com uma piora dos números divulgados", comentou.

Para o sócio da Beta Advisors, Rodrigo Menon, o Ibovespa deve operar na margem entre 64 mil e 70 mil pontos até o fim de setembro, quanto, então, os investidores deverão ter uma sinalização mais clara de como estão os dados externos.

"Além disso, o processo de capitalização da Petrobras está travando um pouco o mercado", pontuou. Nesta segunda-feira, o presidente da estatal, José Sergio Gabrielli, garantiu que a operação de capitalização da empresa ocorrerá em setembro e afirmou que a companhia não tem problemas de caixa.

As ações PN da Petrobras fecharam o pregão com queda de 0,18%, cotadas a R$ 27,61, e com volume negociado de R$ 423,4 milhões. O balanço trimestral da empresa, divulgado na noite de sexta-feira, veio praticamente em linha com o esperado pelo mercado.

O maior giro do dia ficou novamente com os papéis PN da TAM, que movimentaram R$ 610,4 milhões. As ações da companhia chegaram a subir 11%, mas encerraram os negócios com baixa de 0,49%, a R$ 36,02. A união das operações com a companhia aérea chilena LAN segue no centro das atenções do mercado. A operação prevê uma reorganização societária que resultará no fechamento de capital da TAM e na troca de ações da empresa brasileira por recibos de ações (BDRs) da companhia chilena, que serão negociados na BM & FBovespa.

Menon, da Beta Advisors, acredita que os investidores aproveitaram para embolsar uma parte dos ganhos, já que os papéis subiram mais de 27% na última jornada. Entre as maiores altas do Ibovespa figuraram os papéis Ultrapar PN (4,53%, a R$ 96,59), Tim Participações ON (3,68%, a R$ 7,6) e Cyrela Realty ON (3,59%, a R$ 22,74).

Além disso, as ações ON da OGX Petróleo avançaram 2,71%, para R$ 19,7. A empresa informou hoje que, com base em análises técnicas, estima um volume de recursos potenciais de aproximadamente 15 trilhões de pés cúbicos (TCF) de gás natural na área dos sete blocos detidos pela empresa na bacia terrestre do Parnaíba. Já as principais quedas do índice partiram das ações LLX Logística ON (-2%, a R$ 9,3), JBS ON (-5,71%, a R$ 7,92) e Gol PN (-5,76%, a R$ 24,5).

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host