UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/08/2010 - 20h26

São Martinho lucra R$ 22,9 milhões no primeiro trimestre fiscal

SÃO PAULO - A produtora de açúcar e etanol São Martinho obteve lucro líquido de R$ 22,964 milhões em seu primeiro trimestre fiscal de 2011, resultado 20,6% menor que os R$ 28,907 milhões apurados no mesmo período do ano passado.
A companhia lembra, porém, que o lucro do primeiro trimestre fiscal de 2010 foi impulsionado por um ganho não recorrente de R$ 74,3 milhões por conta de efeito da variação cambial.

A receita líquida cresceu 31,3%, para R$ 285,451 milhões. O desempenho operacional foi impulsionado pelas vendas de açúcar, que cresceram 69,3%, atingindo R$ 177,4 milhões. O produto apresentou acréscimo de 26,3% no volume vendido e aumento superior a 30% no preço.

Em contrapartida, a receita líquida com vendas de álcool hidratado atingiu R$ 52,2 milhões, 12,4% a menos do que no primeiro trimestre fiscal de 2010. O resultado reflete a queda de 26,2% no volume vendido, que acabou sendo compensado parcialmente pela melhora de 18,8% no preço médio.

Segundo a São Martinho, a redução nas vendas de etanol hidratado reflete a estratégia comercial da companhia de concentrar as vendas do produto na entressafra, período que apresenta preços melhores.

A receita líquida com alcool anidro totalizou R$ 35,8 milhões no trimestre, uma alta de 18,8% frente a igual período do ano passado. O aumento de 25,7% no preço de comercialização foi o principal responsável pela melhora, já que o volume vendido recuou 5,4%.

Desta forma, a geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) da São Martinho saltou 173,4%, para R$ 114,396 milhões. Já o Ebitda ajustado - que considera itens não caixa lançados no custo de produtos e despesas operacionais não recorrente - foi de R$ 118,473 milhões, com alta de 168,1%.

Os investimentos caíram de R$ 37,3 milhões no primeiro trimestre fiscal de 2010 para R$ 20,6 milhões mesmo período do ano fiscal de 2011. Segundo a empresa, a queda será revertida nos próximos trimestres devido a uma diferença no cronograma de investimentos entre as duas safras. O investimento previsto para a safra 2010/11 está estimado em R$ 175 milhões.

A dívida líquida somava R$ 843,2 milhões em junho, 9,7% a menos em relação a junho do ano passado. O indicador dívida líquida/Ebitda encerrou o período em 1,9 vez, contra 4,2 vezes um ano antes.

(Téo Takar | Valor)
Hospedagem: UOL Host