UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2010 - 11h07

Ibovespa sobe pelo 4º pregão; ações da Petrobras avançam mais de 2%

SÃO PAULO - Diante do tom positivo das bolsas mundiais nesta terça-feira, o Ibovespa acentuou os ganhos no pregão e já marcou 67.487 pontos na máxima do dia.

Por volta das 11h, o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) subia 0,84%, para 67.264 pontos, e girava R$ 1,159 bilhão. Esta é a quarta jornada consecutiva de valorização do Ibovespa.

Na BM & F, o índice futuro, com vencimento em agosto, avançava 0,65%, para 67.305 pontos.

Ontem, o Ibovespa subiu 0,66%, para 66.701 pontos.

Em Wall Street, as bolsas também iniciaram os negócios no azul. Instantes atrás, o índice Dow Jones tinha apreciação de 0,60%, enquanto o Nasdaq registrava alta de 0,90% e o S & P 500 subia 0,79%.

Com uma agenda carregada de indicadores nos Estados Unidos, os investidores analisam dados de inflação, construção de casas e do setor manufatureiro.

Segundo o Federal Reserve (Fed), o banco central do país, a produção industrial americana aumentou 1% em julho, após recuar 0,1% um mês antes (número revisado). Na comparação anual, a produção industrial mostra expansão de 7,7%.

Já a utilização da capacidade da indústria americana subiu para 74,8% em julho, ainda bastante abaixo da média histórica de 80,6%, medida entre 1972-2009. Em junho, o uso da capacidade ficou em 74,1%.

Outro destaque do dia se refere ao Índice de Preços ao Produtor nos Estados Unidos (PPI, na sigla em inglês), que avançou 0,2% em julho, depois do recuo de 0,5% visto em junho. Esta foi a primeira alta do indicador em quatro meses.

No front corporativo doméstico, destaque para os papéis da Petrobras. Há pouco, as ações PN da estatal avançavam 2,13%, a R$ 28,20, enquanto os papéis PNA da Vale se valorizavam em 0,62%, cotados a R$ 43,65.

O ministro de Minas e Energia, Marcio Zimmermann, disse ontem que o preço final do barril de petróleo extraído do pré-sal, que será utilizado no processo de cessão onerosa à Petrobras, será definido no dia 23.

Segundo ele, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) tem até quinta-feira para anunciar o preço calculado pela empresa certificadora contratada para avaliar as reservas da União no pré-sal.

Para se chegar ao preço final do barril na cessão onerosa, o valor que será divulgado pela ANP será confrontado com o preço a ser proposto pela Petrobras, que também contratou uma certificadora para as reservas.

Entre as principais altas do Ibovespa figuravam, minutos atrás, os papéis ON da PDG Realty (3,54%, a R$ 18,41), da OGX Petróleo (2,48%, a R$ 20,19) e da MRV (2,43%, a R$ 14,73).

Em seu primeiro balanço consolidado com a Agre, a PDG Realty revelou que obteve lucro líquido de R$ 221 milhões no segundo trimestre, um aumento de 179% sobre os números pró-forma das duas companhias no mesmo período de 2009.

Já a receita líquida da nova companhia foi de R$ 1,32 bilhão, 49% acima do segundo trimestre do ano passado.

Na direção oposta, destaque negativo para as ações ON da CCR Rodovias (-1,27%, a R$ 38,65), da Tim Participações (-1,97%, a R$ 7,45) e da JBS (-3,91%, a R$ 7,61).

Matéria publicada hoje pelo Valor mostra que a oferta inicial de ações da JBS USA deve ser adiada para o ano que vem, segundo o presidente da JBS, Joesley Batista. "À luz [do mercado] de hoje, não faz sentido correr para fazer IPO", afirmou.

Segundo ele, os resultados da JBS em 2011 serão melhores do que os deste ano. O mercado também deverá estar em melhores condições no próximo ano, justificou.

A JBS anunciou, em 2009, que abriria o capital de sua subsidiária nos EUA, mas adiou o plano com a piora no mercado de capitais.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host