UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2010 - 11h38

Mercado segue com ajuste de posições e DIs têm nova queda na BM & F

SÃO PAULO - As declarações feitas ontem pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, de que o Brasil está em um ciclo virtuoso, com menor risco de inflação, e de que a taxa Selic vai convergir para "padrões internacionais" nos próximos anos, continuam contribuindo para a queda dos prêmios de risco no mercado de juros futuros.

Há pouco, na ponta mais longa da curva na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), o Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2012 caía 0,06 ponto percentual, para 11,26%, enquanto o contrato de janeiro de 2013 perdia 0,07 ponto, a 11,40%. Já o DI do primeiro mês de 2014 recuava 0,06 ponto, para 11,41%.

Entre os vencimentos mais curtos, o DI de outubro de 2010 mantinha taxa de 10,69%, enquanto o DI de janeiro de 2011 cedia 0,01 ponto, a 10,74%.

O gestor da SLW Asset Management, Gustavo Gazaneo, assinala que os operadores do mercado seguem ajustando suas posições em função da fala de Meirelles, que não apenas deixa claro que o ciclo de aperto monetário chegou ao fim, como também dá uma nova sinalização para a trajetória dos juros em 2011.

"Antes das declarações, o mercado imaginava que, no próximo ano, poderíamos ter um aumento da taxa Selic entre 100 pontos e 150 pontos. Agora, os DIs já caíram bastante e a curva sequer precifica um aumento de 100 pontos. A declaração virou a mesa", comentou.

A SLW manteve sua projeção de juros básicos no patamar entre 11,75% e 12% ao ano em dezembro de 2011, mas, segundo Gazaneo, os próximos dados de inflação e PIB serão acompanhados de perto e poderão levar a instituição a alterar suas estimativas.

Na agenda desta terça-feira, destaque apenas para a inflação medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10), que se acelerou de 0,05%, em julho, para 0,46%, em agosto. O resultado veio em linha com o esperado, ressaltou o gestor da SLW.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host