UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2010 - 13h03

Regra de contratações do Plano de Banda Larga deve sair no fim do mês

BRASÍLIA - A Telebrás deve lançar somente no fim deste mês o termo de referência para contratação de serviços e equipamentos necessários para dar início ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). A informação é do presidente da estatal, Rogério Santanna, que conversou com a imprensa hoje ao sair de uma reunião com a ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra.

O termo de referência servirá como base para a elaboração dos editais de licitação que devem ser publicados em setembro. O processo inclui a contratação de empresas fornecedoras de cabos para transporte de dados (DWDN), de serviços de rádio enlace e de Protocolo de Internet (IP), além de companhias de construção civil para a instalação de torres.

Santanna informou que ainda falta definir alguns detalhes sobre os termos de referência. "São complexos e precisam de revisão. Fazer uma rede pensando em todo o Brasil é difícil", comentou o presidente da Telebrás.

Na data do lançamento da licitação, prorrogada para setembro, a estatal já deve inaugurar também a nova sede. O local onde funcionará o data center da companhia ainda recebe móveis e os últimos ajustes.

Santanna disse que encontra dificuldades para obter a liberação dos funcionários da estatal cedidos à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no período em que estava desativada. Embora tenha mais de 100 funcionários cedidos à agência reguladora, a Telebrás solicitou nesse primeiro momento apenas 60 profissionais.

"Já conseguimos o retorno de alguns funcionários, mas não os que a gente realmente precisa", afirmou Santanna. Entre os profissionais cedidos, estão técnicos e engenheiros do setor de telecomunicações.

Segundo o presidente da estatal, está prevista para as próximas semanas uma nova reunião do Conselho de Administração da companhia. Na pauta, deverá ser incluída a proposta para o processo de grupamento das ações da empresa, com o objetivo de diminuir o número de papéis e, consequentemente, aumentar seu valor unitário. Também serão discutidas outras medidas que o comando da estatal pretende adotar para viabilizar o ingresso da companhia no Novo Mercado de governança corporativa.

(Rafael Bitencourt | Valor)
Hospedagem: UOL Host