UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2010 - 18h05

Resultados corporativos animam e Wall Street avança

SÃO PAULO - Os principais índices de Wall Street encerraram esta sessão em território positivo. Em clima mais ameno, os investidores receberam e resultados corporativos que superaram os temores com relação à força da recuperação econômica global.
O índice Dow Jones fechou com ganho de 1,01%, aos 10.406 pontos. O Nasdaq, por sua vez, avançou 1,26%, aos 2.209 pontos, enquanto o S & P-500 subiu 1,22%, aos 1.093 pontos.
Colaborou para a maior tranquilidade dos agentes as palavras do presidente do Federal Reserve de Minneapolis, Narayana Kocherlakota. A autoridade monetária afirmou que o banco central dos EUA não tem dúvidas com relação à recuperação do país.
Também promoveu o tom positivo os resultados da rede varejista americana Wal-Mart, que registrou lucro líquido de US$ 3,6 bilhões no segundo trimestre fiscal, superando em 3,6% o lucro líquido de US$ 3,47 bilhões obtido em igual período do ano passado. Os dados vieram em linha com as projeções dos analistas. As ações da companhia avançaram mais de 1,2%.

A Home Depot, do mesmo setor, apresentou lucro líquido de US$ 1,192 bilhão, resultado 6,8% superior ao verificado um ano antes. Esteve ainda no foco dos investidores a notícia de que a Potash Corp rejeitou a oferta de aquisição da BHP Billiton, que atingia o valor de cerca de US$ 38,49 bilhões.

No âmbito dos indicadores, os agente receberam o Índice de Preços ao Produtor nos Estados Unidos (PPI, na sigla em inglês), que avançou 0,2% em julho, depois do recuo de 0,5% visto em junho. Foi a primeira alta do indicador em quatro meses.

A atividade de construção de moradias nos Estados Unidos, por sua vez, aumentou 1,7% em julho, perante o mês anterior, para uma taxa anualizada ajustada sazonalmente de 546 mil unidades. O dado, contudo, ficou abaixo das expectativas dos analistas de Wall Street.
Por fim, a produção industrial dos Estados Unidos aumentou 1% em julho, após recuar 0,1% um mês antes (número revisado). Segundo os dados apresentados hoje pelo Federal Reserve (Fed), na comparação anual, a produção industrial mostrou expansão de 7,7%.

(Vanessa Dezem | Valor, com agências internacionais)
Hospedagem: UOL Host