UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/08/2010 - 09h51

Vencimento do índice futuro deve movimentar operações na Bovespa

SÃO PAULO - Em uma quarta-feira de agenda esvaziada de indicadores econômicos, o vencimento do contrato do Ibovespa futuro deve movimentar os negócios da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Nesta manhã, o índice recuava 0,21% e marcava 68.650 pontos.

O Ibovespa subiu nos últimos quatro pregões, quando acumulou valorização de 2,73%. Ontem, o índice teve elevação de 1,32%, para 67.583 pontos, com giro negociado de R$ 5,6 bilhões.

Nesta jornada, no cenário europeu, a ata da última reunião do Banco da Inglaterra mostrou que oito dos nove integrantes do comitê de política monetária da instituição foram a favor da manutenção da taxa de juro da região. A voz destoante defendeu um aumento de 0,25 ponto percentual no custo do dinheiro.

Já a Eurostat, a agência oficial de estatísticas da União Europeia, revelou que a produção do setor de construção na zona do euro teve expansão de 2,7% em junho, na comparação com o mês anterior. Perante junho do ano passado, o segmento registrou crescimento de 3,1%.

Nos Estados Unidos, a atenção recai apenas sobre os números semanais referentes às solicitações de empréstimos hipotecários e sobre a variação nas reservas de estoques de petróleo.

Pela manhã, os índices futuros americanos operavam com leve alta, enquanto as bolsas europeias registravam perdas.

Na Ásia, o mercado teve mais um dia de indefinição, com os investidores cautelosos quanto ao desenvolvimento da economia global. Enquanto, em de Tóquio, o índice Nikkei 225 avançou 0,86%, em Hong Kong, o Hang Seng recuou 0,54%. Em Xangai, o Shanghai Composite caiu 0,21%.

No campo corporativo doméstico, a Lopes fez a quarta aquisição do ano, a maior em São Paulo até agora. A companhia adquiriu 51% da Plus, imobiliária de 35 anos com atuação nas zonas Oeste e Sul da capital, por R$ 11,7 milhões. Apesar da forte atuação no mercado de usados - segmento no qual a Lopes pretende crescer com a marca Pronto! -, o principal atrativo da Plus está no contrato de exclusividade para comercialização dos empreendimentos da mineira MRV na região metropolitana de São Paulo.

Além disso, matéria publicada hoje pelo Valor mostrou que o Banco do Brasil e a OdontoPrev - maior operadora de planos odontológicos do país que se associou à Bradesco Dental no ano passado - devem anunciar nos próximos dias uma associação para venda de planos odontológicos nas agências do banco estatal.

Além de envolver a venda de planos odontológicos nos 18.286 pontos de atendimento do banco estatal, a operação contempla uma carteira de 900 mil beneficiários - que são os funcionários, dependentes e aposentados do Banco do Brasil. A própria OdontoPrev, junto com a Bradesco Dental, tem 4,3 milhões de clientes.

Ontem, na expectativa do anúncio, os papéis ON da Odontoprev dispararam 7,17%, a R$ 18,97.

No front externo, a mineradora anglo-australiana BHP Billiton revelou que pode levar a oferta de quase US$ 40 bilhões em dinheiro diretamente aos acionistas para ter a Potash Corporation of Saskatchewan. O anúncio foi feito um dia depois de a fabricante canadense de fertilizantes rejeitar a aproximação.

Ontem, a BHP reafirmou seu interesse pela Potash, relacionado a uma possível aquisição da empresa ao preço de US$ 130 por ação ordinária. Na mesma ocasião, o conselho da PotashCorp avisou não concordar em se engajar nas discussões.

"Acreditamos firmemente que os acionistas da PotashCorp vão achar a oferta em dinheiro muito atraente e, por isso, decidimos levar a proposta diretamente a esses acionistas", destacou o chairman da BHP, Jac Nasser, em nota.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host