UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/08/2010 - 13h29

Cena externa e Petrobras puxam dólar para cima

SÃO PAULO - Após quatro pregões de baixa e alguns passeios abaixo do piso informal de R$ 1,75, o dólar comercial ganha valor do real. Contribuindo para as compras estão a piora de humor externo e ruídos envolvendo o processo de capitalização da Petrobras.

Por volta das 13h30, o dólar comercial era negociado a R$ 1,762 na venda, alta de 0,51%. Na máxima, a moeda foi a R$ 1,765.

Já no mercado futuro, o dólar com vencimento em setembro, negociado na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), subia 0,36%, a R$ 1,7655.

Começando pela Petrobras, os jornais de hoje trazem uma série de informações dando conta de que a oferta de ações pode não ocorrer em setembro e ficar apenas para o ano que vem.
Também começaram a circular estimativas para o preço do barril de petróleo que a União vai repassar à Petrobras na cessão onerosa, e essas estimativas inviabilizariam a oferta.

Em nota divulgada há pouco, a Petrobras enfatizou que qualquer discussão sobre o valor dos barris da cessão onerosa é "mera especulação", pois os laudos das certificadoras ainda não estão prontos.

A estatal reiterou, ainda, que a cessão onerosa continua em negociação e que trabalha para cumprir seu cronograma de realizar a eventual oferta pública de ações em setembro.

Pelo lado externo, a aversão ao risco sobe após uma rodada de indicadores negativos sobre a economia americana. A demanda por seguro-desemprego subiu na semana passada, somando 500 mil requisições, e o índice de a atividade na Filadélfia caiu de variação positiva de 5,1 para leitura negativa em 7,1.

Capturando essa aversão ao risco, o VIX, índice que mede a volatilidade das opções do mercado americano e visto como um termômetro do medo do mercado, subia mais de 8%, para 26,5 pontos.
Nas bolsas, a reação é de venda. O Dow Jones perdia 1,58%, enquanto o S & P 500 recuava 1,80%. E na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o índice recuava 0,91%.

No câmbio externo, o euro perde do dólar e luta para permanecer acima de R$ 1,80.

(Eduardo Campos | Valor)
Hospedagem: UOL Host