UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/08/2010 - 13h34

Despesas com viagens internacionais somam US$ 1,5 bilhão em julho

BRASÍLIA - Paradoxalmente a um passado recente, o brasileiro tem hoje renda em alta, principalmente salarial, e por isso bate recordes de gastos com viagens ao exterior. O turista estrangeiro, ao contrário, com renda contraída pela crise mundial, tem reduzido o gasto no país.

Outro fator positivo para o viajante brasileiro é a taxa de câmbio estabilizada, favorecida pelo real valorizado frente ao dólar americano.

Dados do Banco Central (BC) apontam que as despesas com viagens internacionais têm números recordes para o mês de julho deste ano, quando atingiram US$ 1,536 bilhão, alta de 47% frente a US$ 1,045 bilhão em mês igual de 2009, por exemplo.

No acumulado do ano, os gastos com viagens foram responsáveis por uma piora de US$ 2,721 bilhões na conta externa de serviços, na comparação com período igual do ano anterior. Somaram US$ 8,588 bilhões, ante US$ 5,499 bilhões, ou seja, aumento de 56%.

Outro valor recorde são as despesas com viagens lá fora (inclui gastos com cartões de crédito) acumuladas nos 12 meses até julho, de US$ 13,98 bilhões, cerca de 42% superior a período igual anterior.

Por outro lado, as despesas do turismo estrangeiro no país tiveram queda de 4% na mesma comparação de 12 meses, atingindo US$ 5,671 bilhões. O BC também informou que, em julho, essas receitas ficaram em US$ 438 milhões, cerca de 2% inferiores ao mesmo mês de 2009 (US$ 445 milhões). E de janeiro a julho cresceram 12%, para US$ 3,378 bilhões.

O resultado líquido da conta de viagens internacionais é deficitário em US$ 5,208 bilhões, nos primeiros sete meses do ano, outro valor recorde, segundo o BC.

(Azelma Rodrigues | Valor)
Hospedagem: UOL Host