UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/08/2010 - 17h23

Indústria de eletros espera crescer 14% neste ano

SÃO PAULO - Diante das vendas acima das expectativas no primeiro semestre, a indústria de eletroeletrônicos elevou de 12% para 14% a previsão sobre o faturamento neste ano. Se confirmada essa projeção, o setor fechará 2010 com uma receita da ordem de R$ 128,005 bilhões, segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee).

Até junho, os fabricantes de eletros cresceram 18%, mas a conta da entidade já contempla uma tendência de desaceleração a partir do fortalecimento da base de comparação. Isoladamente, as vendas do segundo semestre devem ficar 11% acima do montante de um ano antes.

"Os números estão sendo ajustados em razão da surpresa sobre o que foi o primeiro semestre", afirmou hoje o presidente da Abinee, Humberto Barbato, acrescentando que a indústria já mostrava em abril cifras que só eram previstas para setembro.

A expectativa é de um desempenho mais robusto do segmento de geração, transmissão e distribuição de energia, cujo faturamento no segundo semestre deve subir 47% na comparação anual, em decorrência dos diversos projetos tocados no setor elétrico.

Os investimentos em redes de transmissão da chamada terceira geração (3G), além do crescimento da banda larga no país, também trazem perspectivas de expansão de 5% ao faturamento na área de telecomunicações na mesma base de comparação. Crescimentos também são previstos na segunda metade do ano para os setores de utilidades domésticas (15%), informática (15%) e equipamentos industriais (13%).

De acordo com uma pesquisa da entidade, 69% das empresas aguardam crescimento do faturamento no terceiro trimestre tanto em relação a igual período do ano passado como na comparação com os três meses antecedentes. O otimismo é mais forte na área de equipamentos industriais, onde 80% das companhias projetam aumento das vendas.

O problema, no entanto, é o avanço dos importados nesse movimento de ascensão das vendas de eletros no país. Com a expectativa de que as importações cresçam 40% neste ano e as exportações fiquem no mesmo nível visto de 2009, espera-se que o setor acumule um déficit comercial de US$ 27,5 bilhões em 2010, 57% acima do saldo negativo do exercício de 2009 (US$ 17,462 bilhões).

Segundo a projeção da Abinee, os produtos de fora devem morder 20,7% do mercado interno deste ano, um pouco acima dos 20,4%. Em 2005, a fatia dos importados era de 15,9%.

(Eduardo Laguna | Valor)
Hospedagem: UOL Host