UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2010 - 16h28

Cabral defende a guerra fiscal para desenvolvimento do Estado

RIO - O governador do Rio, Sergio Cabral, candidato à reeleição, defendeu a realização da guerra fiscal entre os Estados como forma de garantir investimentos e a consequente geração de empregos e de renda.

"Quando a guerra fiscal tem como resultado uma boa política que resulte em benefícios para o cidadão, isso é muito bom. Quando você gera mais empregos, quando atrai novos investimentos, quem ganha é a população. Isso quando essa luta fiscal não compromete as receitas do estado", disse.

O governador lembrou que a guerra fiscal já existe há muitos anos, antes inclusive de sua entrada no governo. Além disso, a "vizinhança tem incentivos fiscais", outros Estados têm incentivos fiscais, o que acaba servindo de motivação para o Rio realizar a mesma política, mantendo empresas que já se localizavam aqui e atraindo outras, ressaltou.

"Temos agora um pacote com incentivos ficais para estimular o desenvolvimento das empresas no Rio de Janeiro, desde os produtores de leite até bens de capital", disse o governador.

Ontem, a candidata à Presidência da República pelo PT, apoiada por Cabral, Dilma Roussef, disse pretender fazer uma reforma tributária que desonere investimentos, desonere folha de salário, simplifique a tributação, e acabe "com uma coisa terrível hoje no Brasil que é a guerra fiscal, que em determinados momentos compromete a produção local e beneficia a importação".
Sergio Cabral disse que, quando se faz "política tributária inteligente e tem responsabilidade fiscal, o resultado dá certo". Ele participou de um encontro de campanha com o presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira.

O presidente da Firjan disse que "as matérias mais dramáticas" na questão de impostos são no domínio federal. No entanto, ele lembrou que o Rio de Janeiro conta com o ICMS Social, cuja alíquota, de 1%, incide sobre todas as mercadorias. "Esse pleito vai ser endereçado, mas ele (Cabral) já está vendo a campanha nas ruas", disse.
A Firjan está com uma campanha publicitária nas ruas do Rio de Janeiro e nos veículos de comunicação defendendo a "dieta do impostão". A ideia principal da campanha é "pagar menos impostos e cobrar mais dos impostos", e levar a discussão para a campanha eleitoral.

(Juliana Ennes | Valor)
Hospedagem: UOL Host