UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/08/2010 - 10h51

De olho nos números americanos, Ibovespa opera em queda pelo 5º pregão

SÃO PAULO - Números piores que o previsto de encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos estão pesando sobre as operações dos mercados acionários nesta quarta-feira, e levando o Ibovespa a recuar pelo quinto pregão seguido.

Por volta das 10h50, o Ibovespa caía 0,99%, para 64.508 pontos, e girava R$ 780,2 milhões. Na BM & F, o índice futuro, com vencimento em outubro, cedia 1,05%, para 65.350 pontos.

Ontem, o Ibovespa fechou os negócios com desvalorização de 1,25%, aos 65.156 pontos, no menor patamar desde o dia 21 de julho (64.476).

Em Wall Street, as bolsas também iniciaram os negócios em baixa. Instantes atrás, tanto Dow Jones como o Nasdaq recuavam pelo menos 0,50%.

Enquanto esperam pelos dados de vendas de imóveis novos nos EUA em julho, os investidores reagem aos números já divulgados pelo Departamento do Comércio.

De acordo com a instituição, os novos pedidos de bens duráveis no país subiram 0,3% em julho, para US$ 193 bilhões. Apesar de ter sido a primeira alta em três meses, o número veio abaixo do crescimento aproximado de 3% para o período.

No mercado corporativo doméstico, há pouco, apenas três ações que integram o Ibovespa operavam em alta: Braskem PNA (1,22%, a R$ 14,83), Cosan ON (0,99%, a R$ 23,37) e JBS ON (0,13%, a R$ 7,29).

Na direção oposta, destaque negativo para os papéis Cemig PN (-1,73%, a R$ 26,01), Telemar ON (-1,82%, a R$ 30,05) e Rossi Residencial ON (-2,11%, a R$ 15,71).

As "blue chips" também contribuíam para as perdas do mercado. Minutos atrás, as ações PN da Petrobras declinavam 1,45%, a R$ 25,76, enquanto os papéis PNA da Vale tinham desvalorização de 1,01%, a R$ 40,91.

Fora do Ibovespa, destaque para as ações ON da Pet Manguinhos, com elevação de 4,16%, a R$ 0,75.

A Refinaria Manguinhos, instalada no Rio de Janeiro, anunciou ontem a retomada da operação de uma de suas unidades de destilação, após um período de ajustes.

De acordo com a empresa, a unidade já está processando o condensado de petróleo recentemente adquirido, o que resultará em um aumento da capacidade de produção. A refinaria não processava petróleo bruto desde 2006 e vinha produzindo apenas gasolina a partir de nafta.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host