UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/09/2010 - 13h00

Marina crítica aproximação do Brasil com Irã

SÃO PAULO - Assim como José Serra (PSDB) nos últimos meses, a candidata do PV à Presidência, Marina Silva, criticou a política externa do governo federal, sobretudo a relação entre Brasil e Irã. Segundo ela, o país deve estabelecer seus laços diplomáticos com países que tenham princípios voltados para a defesa dos direitos humanos.

"Ninguém pode ser criticado pelo diálogo, mas não se pode fazer em nome do diálogo um movimento político que acaba favorecendo um ditador, que não respeita direitos humanos, que tem presos políticos e que tem como objetivo fazer a bomba atômica", disse Marina durante entrevista ao Jornal da Globo.

A candidata avaliou que o governo do presidente Luiz Inácio da Silva adotou uma postura equivocada ao dar "audiência" para o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad. A presidenciável se referia a proposta do Brasil de intermediar acordos em torno do programa nuclear de Teerã, que opõe iranianos e os países ocidentais.

Além disso, Lula chegou a oferecer asilo para Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada no Irã a morrer apedrejada pela acusação de participar com seu amante do assassinato de seu marido.

Na entrevista, a favela cenográfica utilizada na propaganda gratuita de José Serra (PSDB) mais uma vez foi alvo de críticas de Marina. "Estranhei que no programa de José Serra ele tenha apresentado uma favela virtual. O Acre é um Estado pequeno com desigualdades sociais muito grandes. Agora, como se explicar que isso aconteça aqui em São Paulo", questionou. O tucano foi governador paulista até o fim de março deste ano, quando deixou o cargo para concorrer à Presidência. "Difícil é imaginar que o Estado mais rico do país tenha uma situação como a que eu vi na favela da Mata Virgem", acrescentou a candidata do PV, ressaltando que a comunidade vive numa área de manancial com esgoto a céu aberto.

(Fernando Taquari | Valor)
Hospedagem: UOL Host