UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/09/2010 - 09h29

Produção industrial de julho cresce acima da média em seis regiões

SÃO PAULO - Entre junho e julho, a produção industrial brasileira avançou em sete das 14 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerando ajuste sazonal, com avanço acima da média nacional (0,4%) em seis localidades.

O levantamento divulgado hoje pelo IBGE mostra que a expansão mais significativa foi observada em Goiás, com avanço de 10,3% em julho, ante recuo de 10,7% em junho. Na sequência de regiões que cresceram acima da média nacional estão Bahia (3,6%), Rio Grande do Sul (3,3%), região Nordeste (1,7%), Rio de Janeiro (1,1%) e São Paulo (0,5%). Os Estados de Minas Gerais e Espírito Santo praticamente mantiveram o patamar de junho, com avanço de 0,1% e recuo de 0,2%, respectivamente, aponta o IBGE. As regiões que apresentaram variação negativa entre junho e julho foram Pará (-0,7%), Pernambuco (-1,2%), Amazonas (-1,3%), Ceará (-1,5%). A maior desaceleração ocorreu no Paraná e em Santa Catarina (ambos com -2,9%).

Em relação a julho de 2009, que teve um dia útil a mais do que julho deste ano, todas áreas pesquisadas apresentaram avanço na produção, exceto Santa Catarina, que registrou recuo de 0,1%.

A taxa positiva mais elevada na comparação anual foi registrada no Espírito Santo (24,7%), seguido por Paraná (18,1%), Amazonas (16,4%), Bahia (14,4%), região Nordeste (14,3%), Ceará (13,4%), Pernambuco (13,3%), Minas Gerais (11,2%) e Goiás (8,8%), que apresentaram avanço acima da média nacional (8,7%). As taxas positivas inferiores à média foram registradas nas áreas de Rio Grande do Sul (8,6%), Rio de Janeiro (8,0%), São Paulo (7,9%) e Pará (3,9%).

No acumulado do ano, todos os locais registraram índices positivos de atividade, com destaque para Espírito Santo (34,9%), Amazonas (26,4%) e Minas Gerais (20,5%). Segundo o IBGE, o avanço destas três regiões foi incentivado pelas indústrias extrativa, de bens de consumo duráveis e metalurgia básica. As outras regiões que registraram avanço acima da média nacional de 15%, no período, foram Paraná (19,3%), Goiás (18,9%), Pernambuco (17,3%) e Ceará (16,5%). Os demais resultados positivos entre janeiro e julho foram observados em São Paulo e região Nordeste (ambos com 14,1%), Bahia (13,8%), Rio Grande do Sul (10,8%), Rio de Janeiro (10,4%), Santa Catarina (10,3%) e Pará (8,1%), impulsionados pelos setores de bens de capital e de bens de consumo duráveis, além da recuperação das exportações.

A comparação entre o desempenho acumulado no primeiro semestre do ano frente ao índice de julho, entretanto, mostra redução da atividade industrial em 12 dos 14 locais avaliados. Neste comparativo, houve recuo mais intenso em Santa Catarina (de 12,3% para -0,1%), Goiás (de 21,0% para 8,8%), Espírito Santo (de 36,9% para 24,7%), Amazonas (de 28,2% para 16,4%) e Minas Gerais (de 22,4% para 11,2%).

A análise, segundo o IBGE, reflete o comportamento do índice nacional, cujo avanço passou de avanço de 16,2% no primeiro semestre para alta de 8,7% em julho. O movimento reflete tanto a atividade industrial mais moderada nos últimos meses, como a elevação da base de comparação, uma vez que o segundo semestre de 2009 mostrou ritmo mais intenso que o primeiro, aponta o instituto.

(Daniela Braun | Valor)
Hospedagem: UOL Host