UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

13/09/2010 - 16h21

Focus e expectativa com leilão de títulos puxam DIs para cima

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros começam a semana ajustando para cima na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). Segundo o operador de juros do Banco Prosper, Rodrigo Maranhão, dois fatores colaboraram para essa alta. Primeiro o Boletim Focus, do Banco Central, que mostrou piora na expectativa de inflação para 2011. E o surgimento de rumores dando conta de que o governo brasileiro estaria planejando emitir um bônus em reais no mercado externo. Antes do ajuste final de posições, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2012, o mais líquido do dia, apontava alta de 0,04 ponto, a 11,34%. Janeiro de 2013 mostrava alta de 0,03 ponto, a 11,67%. E janeiro 2014 também avançava 0,03 ponto, 11,66%. Entre os curtos, outubro de 2010 marcava estabilidade a 10,62%. Novembro de 2010 ganhava 0,02 ponto, a 10,65%. E janeiro de 2011 projetava 10,66%, queda de 0,01 ponto.

Até as 16h10, foram negociados 428.440 contratos, equivalentes a R$ 36,50 bilhões (US$ 21,24 bilhões), em linha com o registrado na sexta-feira. O vencimento janeiro de 2012 foi o mais negociado, com 161.890 contratos, equivalentes a R$ 14,07 bilhões (US$ 8,18 bilhões).

Começando pelo Focus, a sondagem mostrou nova redução nas projeções de inflação para 2010. A mediana caiu de 5,07%, para 4,97%. Mas olhando para 2011, os agentes elevaram o prognóstico para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 4,85% para 4,90%. A inflação projetada em 12 meses também subiu, atingindo 5,06%. Essa foi a terceira elevação seguida.

A piora na projeção de inflação acontece mesmo com os agentes revisando para cima a previsão para a taxa básica de juros. A Selic estimada para o encerramento de 2011 subiu de 11,50% para 11,75%. Já o crescimento esperado permaneceu em 4,5%. Já a expectativa de emissão de bônus, segundo Maranhã, resulta em alta de prêmio de risco por dois canais. Primeiro, os agentes puxam os preços no mercado para tentar conseguir melhor rentabilidade para os títulos. Outro movimento que pode estimular alta nos prêmios é a saída dos investidores estrangeiros que vieram investir em juros prefixados no mercado local. Com emissão de um instrumento no exterior, esses agentes vendem as posições aqui para tomar parte da oferta externa. O operador também chama atenção para os volumes menores que os contratos vem girando. Segundo Maranhão é natural que o mercado reduza a formação de apostas tento em vista a incerteza quanto à composição do Banco Central e do próximo governo. Na agenda da terça-feira atenção ao comportamento do comércio varejista em julho e dos preços no atacado, conforme é divulgada a primeira prévia do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M). (Eduardo Campos | Valor)
Hospedagem: UOL Host