UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/09/2010 - 12h43

Ibovespa segue em baixa, pressionado pelos papéis da Petrobras

SÃO PAULO - Embora tenha arriscado uma inversão de rumo, o mercado acionário brasileiro segue sem força nos negócios desta terça-feira, pressionado principalmente pelo desempenho das ações da Petrobras. Por volta das 12h40, o Ibovespa recuava 0,17%, aos 67.917 pontos, e movimentava R$ 2,62 bilhões. Em Wall Street, no mesmo horário, as bolsas operavam em alta, dando continuidade ao movimento dos últimos quatro pregões. Enquanto o índice Dow Jones tinha valorização de 0,23%, o S&P 500 avançava 0,21% e o Nasdaq registrava aumento de 0,38%.

Os números divulgados nos Estados Unidos e na Europa não estão conseguindo estimular as compras. As vendas varejistas americanas tiveram um crescimento de 0,4% de julho para agosto, um pouco acima do esperado.

Já os estoques dos negócios dos Estados Unidos aumentaram mais que o previsto de junho para julho, ao apresentarem expansão de 1% no período.

Os investidores também não encontram alento nas notícias europeias, já que a produção industrial ficou estagnada na zona do euro, entre junho e julho, e a confiança do consumidor alemão caiu drasticamente em setembro.

"Hoje está todo mundo em cima do muro", assinala o operador da UM Investimentos, Eduardo Oliveira. Segundo ele, chama a atenção, no Brasil, a queda surpreendente dos papéis da Petrobras, tendo em vista que os investidores interessados na oferta prioritária têm até hoje para comprar a ação, já que a segunda conferência de posição será feita na próxima sexta-feira.

Como a liquidação é de "D+3", o papel precisava ser adquirido até esta terça-feira para estar sob custódia no dia 17. De toda forma, vale lembrar que os investidores já precisavam ter ações da Petrobras sob custódia na primeira data de corte, correspondente ao dia 10 de setembro, para atuar na oferta prioritária. "A movimentação das ações da Petrobras está estranha, já que se imaginava que os papéis só começassem a cair a partir de amanhã, tendo em vista a formação do preço para a capitalização", diz Oliveira.

As ações da Petrobras permanecem entre as maiores baixas do Ibovespa. Há pouço, os papéis PN recuavam 1,76%, a R$ 27,80, e giravam R$ 459,6 milhões. As ações ON cediam 2,11%, a R$ 30,99, com volume negociado de R$ 62,7 milhões.

Ainda entre as principais baixas do Ibovespa estavam Natura ON (-1,47%, a R$ 43,94), BM&FBovespa ON (-1,60%, a R$ 14,10) e LLX Logística ON (-6,23%, a R$ 9,47).

Na direção oposta, os papéis do setor de construção e dos bancos operavam no azul. Os destaques do Ibovespa estavam com Brasil Ecodiesel ON (5,49%, a R$ 0,96), Gol PN (2,75%, a R$ 25,36) e Brookfield ON (2,17%, a R$ 9,41).

Além da Petrobras, estavam entre os principais giros do dia as ações PNA da Vale (-0,04%, a R$ 42,52), com volume de R$ 248,3 milhões, e Itaú Unibanco PN (1,68%, a R$ 39,15), com total negociado de R$ 93,7 milhões.

(Beatriz Cutait | Valor)
Hospedagem: UOL Host