UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/12/2011 - 20h02

Centro de pesquisa da L'Oréal no Rio fica pronto em 2013

RIO - O Brasil será o quarto país fora da Europa a receber um centro de pesquisa e inovação da francesa L?Oréal. A unidade, cujo memorando de entendimentos foi assinado hoje com o governo do Estado do Rio de Janeiro, será instalada no Centro Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, zona norte da capital fluminense, e deverá ficar pronto até o fim de 2013.

Atualmente, a companhia já trabalha com pesquisa e desenvolvimento no país com cerca de 50 pesquisadores, divididos entre estrutura localizada no Centro do Rio e na fábrica da companhia no Jardim América, também na zona norte. O presidente da empresa no Brasil, Didier Tisserand, estima que o número de pesquisadores no país seja multiplicado por quatro nos próximos quatro anos. Além dessas unidades, a empresa tem uma fábrica em São Paulo, mas sem atividade de pesquisa.

As contratações para o Parque Tecnológico já começaram e muitos dos pesquisadores já empregados serão transferidos para a Ilha do Fundão assim que a construção ficar pronta. De acordo com Tisserand, a maior parte da mão de obra será de brasileiros, muitos oriundos da UFRJ.

A L?Oréal não revelou o valor pago pelo terreno de 28 mil metros quadrados, que fica na Ilha de Bom Jesus, unida à Ilha do Fundão por um aterro nos anos 50. O investimento total da companhia no projeto é de R$ 70 milhões. Assim como as outras empresas que vão se instalar no Parque Tecnológico da UFRJ, a L?Oréal também se comprometeu a fechar contratos de pesquisa de até R$ 3 milhões por ano com a universidade.

Os terrenos da Ilha de Bom Jesus - que somam 130 mil metros quadrados - pertencem ao Exército. Eles serão comprados pelo Governo do Estado para serem vendidos às empresas. "A gente está viabilizando, do ponto de vista legal, a passagem para as empresas do terreno, mas a governança será da Ilha do Fundão, será da UFRJ, do Parque Tecnológico para ser mais específico", explicou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno. Além da L?Oréal, a General Electric também já confirmou a compra de 50 mil metros quadrados. Com isso, ainda há a possibilidade da venda de 50 mil metros quadrados para outras empresas.

Bueno frisou que tem "várias empresas interessadas" em comprar áreas na ilha. "Tem uma grande, muito grande, em vias de concluir as negociações", disse, sem revelar o nome. O secretário afirmou apenas que a companhia é brasileira e deve fechar acordo no início do ano que vem. Bueno explicou ainda que não há um número definido sobre quantas empresas poderão se instalar na Ilha de Bom Jesus.

Além do centro de pesquisas que será instalado no Rio de Janeiro, a L?Oréal tem outros de mesmo porte que funcionam no Japão, Estados Unidos e China.

(Marta Nogueira | Valor)

Hospedagem: UOL Host