UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/09/2008 - 13h52

Escritor dá dicas de como lidar com o assédio moral nas empresas

da Redação
Como as pessoas nas principais posições das empresas lidam com o poder? Foi esse o tema do bate-papo com o jornalista Beto Ribeiro, autor do livro "Poder S.A", que trata sobre assédio moral. Beto, que já trabalhou em empresas importantes, como Cyrela, Volkswagen e Unilever, contou o que o poder pode fazer com as pessoas e afirmou que o abuso de autoridade não poupa ninguém, nem mesmo os porteiros dos edifícios.

O jornalista esteve no UOL para um bate-papo sobre o assunto. Ele contou histórias e tirou dúvidas dos internautas sobre como lidar com o assédio moral e casos de abuso de poder. Veja abaixo a íntegra do bate-papo, em texto e vídeo.



(11:33:37) Segurança fala para Beto Ribeiro: Como é interpretado o assédio moral e como é provado?

(11:41:32) Beto Ribeiro: Olá, Segurança. Você tem que colher todas provas, desde e-mail , gravação de telefonemas, se você puder filmar, mas qualquer coisa pode ser uma prova. O horário de entrada e saída, os testemunhos das pessoas também é importante.


(11:33:42) Titi fala para Beto Ribeiro: Olá Beto, creio que assedio moral seja infelizmente algo muito comum nas corporações, independentemente do tamanho. Por exemplo, o diretor chamar um subordinado de incompetente "de brincadeirinha" caracteriza assédio moral?

(11:43:04) Beto Ribeiro: Titi, acho que qualquer palavra muito forte caracteriza como assédio moral. Teve uma empresa que foi recentemente processada e perdeu por conta do funcionário ser chamada de incompetente em tom de brincadeira.


(11:35:16) edvane fala para Beto Ribeiro: por que as empresas tendem a "punir" mais os assediados do q o assediador?

(11:44:18) Beto Ribeiro: edvane, as empresas fazem isso porque não é fácil se ver como uma empresa que permite o assédio. Mas o assediador não deixa os fatos chegarem à diretoria, nem sempre os altos cargos sabem o que está acontecendo. Mas, muitas vezes, o problema é do RH, que sabe o que está acontecendo e não toma nenhuma atitude e põe panos quentes.


(11:36:36) Segurança fala para Beto Ribeiro: no caso de assédio moral, quem é processado a empresa ou o causador direto do assédio?

(11:45:21) Beto Ribeiro: Segurança, os dois são processados. Se não me engano, processa a empresa, uma vez que ela é responsável pelo assediador. Mas o assediador é citado no processo.


(11:37:22) Cláudio fala para Beto Ribeiro: por exemplo se sua diretora, liga dizendo que se não aumentar o faturamento alguém vai ser mandado embora no meu dept, mas ninguém no departamento é responsável por faturamento só execução dos trabalhos é assédio moral

(11:47:32) Beto Ribeiro: Cláudio, não tenho como responder bem o que é ou não assédio moral, porque não sou jurista. Mas, se eu fosse um dos executivos e escutasse isso, eu tentaria mostrar para a pessoa que isso é assédio moral. Esse tipo de ameaça vai te diminuindo no seu cotidiano pessoal e profissional, o ambiente vai ficando muito pesado. Mas, Cláudio, se for o caso, procure o RH e tente falar com pessoas próximas à pessoa que está fazendo isso para tentarem ajudar.


(11:41:20) kakaqui fala para Beto Ribeiro: Afinal, o que é assédio moral? Assédio sexual está dentro de assédio moral?

(11:48:20) Beto Ribeiro: Kakaqui, o assédio sexual e diferente do assédio moral. O sexual é muito certo, enquanto o moral é muito difícil de ser percebido.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host