Ao VivoDireto da Bolsa

Cobertura de notícias sobre mercados, ações e investimentos no Brasil e no exterior

Impeachment é esperança para atrair investidores, dizem analistas

A conclusão do impeachment, que entra nesta semana em sua reta final, pode destravar o fluxo de capitais para o Brasil, que continua negativo apesar de o real liderar a alta este ano entre as moedas emergentes. Essa é a expectativa de analistas de mercado, que não descartam o câmbio buscar R$ 3 ou menos no cenário mais otimista. Por ora, a queda do dólar, de quase 20% desde janeiro, se explica mais pelas expectativas positivas do que por uma melhora efetiva de fundamentos. Deixe sua opinião (Com Bloombergs) Leia Mais

Bolsas dos EUA fecham quase estáveis; Nasdaq sobe e Dow Jones cai

Os índices acionários dos Estados Unidos fecharam praticamente estáveis nesta segunda-feira (22), com a queda do setor de energia sendo ofuscada pelo desempenho positivo das ações de biotecnologia. O índice de tecnologia Nasdaq avançou 0,12%, a 5.244 pontos. No sentido oposto, o Dow Jones caiu 0,12%, a 18.529 pontos, e o índice S&P 500 teve leve queda de 0,06%, a 2.182 pontos. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Bolsa fecha em queda de 2,23%, maior baixa em quase dois meses

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta segunda-feira (22) em queda de 2,23%, a 57.781,24 pontos. É a maior baixa percentual diária desde 24 de junho, quando a Bovespa havida perdido 2,82%. Essa é também a terceira queda seguida do índice, que havia caído 0,11% na sexta-feira. Apesar disso, a Bolsa acumula ganho de 0,83% no mês e de 33,29% no ano. A baixa de hoje foi puxada pela queda da maioria das ações. Dos 59 papéis listados no Ibovespa, apenas dois fecharam em alta. As ações da Petrobras, da mineradora Vale e do Banco do Brasil, que têm grande peso sobre o índice, caíram mais de 3%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Dólar cai pelo 2º dia, a R$ 3,202, com impeachment em fase final

Após operar a maior parte do dia em alta, o dólar comercial mudou de sentido à tarde e fechou esta segunda-feira (22) em queda de 0,18%, cotado a R$ 3,202 na venda. Foi a segunda baixa seguida da moeda norte-americana, que havia caído 0,81% na sexta-feira. Com isso, o dólar acumula desvalorização de 1,28% no mês e de 18,91% no ano. Investidores acompanham a fase final do processo de impeachment de Dilma Rousseff. O mercado de câmbio também foi afetado pela atuação do Banco Central. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Bolsa cai mais de 2%; dólar opera quase estável, perto de R$ 3,21

A Bovespa caía mais de 2% e o dólar comercial operava praticamente estável nesta segunda-feira (22). Por volta das 16h15, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 2,18%, a 57.808,94 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana tinha leve alta de 0,01%, a R$ 3,207 na venda. Investidores aumentavam as apostas de que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) suba os juros no país ainda neste ano. No Brasil, o mercado aguardava o início do julgamento do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, previsto para quinta-feira (25). Pela manhã, o Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbioDeixe sua opinião (Com Reuters)

Títulos privados devem ganhar fôlego em 2017

A melhora esperada para a economia a partir do último trimestre deste ano já começa a render apostas em títulos privados cujos rendimentos são isentos de Imposto de Renda, como as debêntures de infraestrutura e os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs). Outras aplicações que também podem ganhar atratividade são os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Itaú BBA prevê coordenar até 10 entradas na Bolsa até o fim do ano

O Itaú BBA, braço de banco de atacado do Itaú Unibanco (ITUB4), prevê coordenar de cinco a dez ofertas de ações (entradas na Bolsa) no Brasil até o final de 2016, disseram executivos da instituição a jornalistas nesta segunda-feira (22). Os executivos do banco também disseram que o mercado acionário brasileiro vai mostrar uma melhora surpreendente nos próximos dois meses. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Moody's: Eletrobras terá melhora no fluxo de caixa a partir de 2017

A estatal federal de energia Eletrobras (ELET6) terá uma importante melhora no fluxo de caixa nos próximos oito anos a partir de 2017, apontou nesta segunda-feira (22) relatório da agência de classificação de risco Moody's, que analisou os efeitos do pagamento de indenizações bilionárias devidas à companhia pela União desde o final de 2012. As compensações pela renovação antecipada de contratos de concessão de transmissão de quatro subsidiárias da Eletrobras resultaram em um ganho extra de R$ 17 bilhões para a estatal no segundo trimestre, o que é positivo para o perfil de crédito da companhia, disse a Moody's. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Bolsa opera em queda de mais de 1,5%; dólar sobe, perto de R$ 3,22

A Bovespa operava em queda de mais de 1,5% e o dólar comercial subia nesta segunda-feira (22). Por volta das 15h20, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 1,73%, a 58.077,58 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana avançava 0,28%, a R$ 3,216 na venda. Investidores aumentavam as apostas de que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) suba os juros no país ainda neste ano. No Brasil, o mercado aguardava o início do julgamento do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, previsto para quinta-feira (25). Pela manhã, o Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbioDeixe sua opinião (Com Reuters)

VW corta jornada de funcionário na Alemanha por crise com fornecedor

Um conflito com dois de seus fornecedores obriga a Volkswagen a interromper parte de sua produção e a reduzir a jornada de trabalho de aproximadamente 28 mil funcionários na Alemanha, informou a montadora nesta segunda-feira (22). A fabricante alemã, que tem divergências com esses fornecedores de material, adotou desde 18 de agosto e até o final do mês "medidas de ajuste (do tempo de trabalho) que vão até o desemprego parcial", disse a companhia em comunicado. Deixe sua opinião (Com Folha) Leia Mais

Bolsa da Alemanha fecha em queda de 0,47%; Itália sobe 0,36%

Os mercados europeus fecharam com leves variações nesta segunda-feira (22), após acumular perdas na semana passada. As ações da companhia química suíça Syngenta tiveram alta depois que a oferta que a ChemChina fez à ela foi liberada por um regulador norte-americano. O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 perdeu 0,03%. O índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,09%, estabilizando após a maior queda semanal desde junho na sexta-feira (19). Confira as variações:

  • Itália: +0,36%
  • Espanha: +0,21%
  • Portugal: +0,1%
  • França: -0,24%
  • Inglaterra: -0,44%
  • Alemanha: -0,47% Deixe sua opinião (Com Reuters)
Leia Mais

Bolsa opera em queda de mais de 1,5%; dólar sobe, perto de R$ 3,22

A Bovespa operava em queda de mais de 1,5% e o dólar comercial subia nesta segunda-feira (22). Por volta das 14h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 1,62%, a 58.140,15 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana avançava 0,43%, a R$ 3,221 na venda. Investidores aumentavam as apostas de que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) aumente os juros no país ainda neste ano. No Brasil, o mercado aguardava o início do julgamento do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, previsto para quinta-feira (25). Pela manhã, o Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbioDeixe sua opinião (Com Reuters)

Japão aumenta pelo 4º mês seguido produção de aço

A produção japonesa de aço bruto subiu pelo quarto mês consecutivo em julho, puxada por exportações, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (22) pela Associação de Ferro e Aço do Japão. No mês passado, a produção de aço bruto do Japão subiu 0,5% sobre um ano antes, para 8,89 milhões de toneladas. Na comparação com junho, houve crescimento de 1,3%. Deixe sua opinião (Com Reuters) Leia Mais

Economia do México encolhe 0,2% no segundo trimestre

O PIB (Produto Interno Bruto) do México caiu 0,2% no segundo trimestre do ano, em relação ao primeiro trimestre, já considerado o ajuste sazonal. O dado foi divulgado nesta segunda-feira (22) pelo Instituto Nacional de Estatísticas do país. Esta é a primeira que a economia mexicana encolhe desde o segundo trimestre de 2013. Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, houve crescimento de 1,5%. Deixe sua opinião (Com Valor) Leia Mais

Bolsa opera em queda de mais de 1,5%; dólar sobe, perto de R$ 3,22

A Bovespa operava em queda de mais de 1,5% e o dólar comercial subia nesta segunda-feira (22). Por volta das 13h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 1,65%, a 58.122,81 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana avançava 0,46%, a R$ 3,222 na venda. Investidores aumentavam as apostas de que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) eleve os juros ainda neste ano. No Brasil, o mercado aguardava o início do julgamento do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, previsto para quinta-feira (25). Pela manhã, o Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbioDeixe sua opinião (Com Reuters)

Empresa de aviação de Michael Klein quer comprar Global Aviation

 CB Air, empresa de aviação executiva criada pelo empresário Michael Klein em 2013, anunciou nesta segunda-feira (22) que está em processo de compra da Global Aviation, empresa com tradição no setor, responsável pela hangaragem de mais de 80 aeronaves. A transação, que só será fechada após a aprovação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e do Cade (Conselho de Administração de Defesa Econômica), envolve R$ 38 milhões, além da negociação de bens e dívidas. Deixe sua opinião (Com Folha) Leia Mais

Pfizer compra empresa de remédios contra câncer por US$ 14 bi

A companhia farmacêutica norte-americana Pfizer anunciou nesta segunda-feira (22) um acordo para comprar a fabricante de remédios contra o câncer Medivation em uma operação avaliada em cerca de US$ 14 bilhões. Segundo os termos financeiros do acordo, a Pfizer pagará US$ 81,50 por ação da Medivation, o que representa um valor 21% maior em relação ao último fechamento dos títulos da companhia, conforme anunciaram as duas empresas em comunicado conjunto. Deixe sua opinião (Com Efe) Leia Mais

Falta de água pode parar atividades de frigorífico da JBS em MT

A unidade de abate de bovinos da JBS (JBSS3), dona das marcas Friboi e Seara, em Colíder (MT) pode ter suas atividades interrompidas por falta de água. A escassez de chuva na região do rio Carapá estaria comprometendo o nível da água nos reservatórios que abastecem o frigorífico. Em nota, a JBS confirma a informação e diz que "está tomando providências para evitar que a produção na unidade seja interrompida". A unidade de Colíder tem 560 funcionários e é responsável pelo abate de cerca de 600 cabeças de gado por dia. Deixe sua opinião (Com Valor)

Bolsa opera em queda de mais de 1%; dólar sobe, perto de R$ 3,21

A Bovespa operava em queda de mais de 1% e o dólar comercial subia nesta segunda-feira (22). Por volta das 12h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 1,39%, a 58.274,83 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana avançava 0,19%, a R$ 3,213 na venda, após comentários do vice-presidente do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA), Stanley Fischer, de o país está perto de bater suas metas de pleno emprego e de 2% de inflação. No Brasil, o Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbio nesta sessão. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Governo não prevê alta de imposto, diz ministro da Casa Civil

Faltando menos de duas semanas para o envio ao Congresso Nacional da lei orçamentária de 2017, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, garantiu que não haverá surpresa e que o governo fechará as contas do ano que vem sem aumento de impostos. A proposta do Orçamento, afirmou, será feita com mais cortes nas despesas para garantir o cumprimento da meta fiscal de 2017, de rombo de R$ 139 bilhões. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Empresas brasileiras perdem vantagem do dólar alto na exportação

Motivo de críticas do setor exportador ao governo, a queda do dólar ante o real neste ano equipara o câmbio no Brasil à situação de outros países vendedores de matérias-primas, como Austrália e Canadá. Nos últimos dois anos, as empresas brasileiras foram beneficiadas pelos picos da moeda norte-americana nos períodos de intensificação da crise política, em especial em 2015. Agora, com as cotações mais baixas, as companhias nacionais perderam a vantagem trazida pelo câmbio e precisam concorrer de igual para igual com empresas de outros países. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Vinda de recursos ao Brasil depende de ajuste fiscal, dizem analistas

A vinda de recursos para o Brasil não depende mais do impeachment de Dilma Rousseff, que já está basicamente precificado, e sim do avanço do ajuste fiscal, afirmam analistas à Agência Estado. Se o governo do presidente em exercício, Michel Temer, conseguir provar que está colocando as contas públicas em ordem, pode se beneficiar da ampla liquidez global. Deixe sua opinião (Com A Tarde) Leia Mais

Bolsa opera em queda de mais de 1%; dólar sobe, perto de R$ 3,22

A Bovespa operava em queda de mais de 1% e o dólar comercial subia na manhã desta segunda-feira (22). Por volta das 11h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 1,38%, a 58.281,09 pontos. No mesmo horário, a moeda norte-americana avançava 0,31%, a R$ 3,217 na venda, após comentários do vice-presidente do Federal Reserve, Stanley Fischer, de que o banco central norte-americano está perto de bater suas metas de pleno emprego e de 2% de inflação. O Banco Central realizou nesta manhã mais um leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólares, com oferta de até 10 mil contratos. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Aneel aprova indenização de R$ 892 milhões à Cemig

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou uma indenização de R$ 892 milhões à elétrica mineira Cemig, a valores de dezembro de 2012, como compensação pela renovação antecipada de concessões de transmissão de energia da companhia no final daquele ano, como parte do plano do governo federal para reduzir as tarifas de eletricidade. O valor corresponde a investimentos feitos nos ativos e ainda não amortizados quando da renovação dos contratos, segundo publicação no Diário Oficial da União, nesta segunda-feira (22). A indenização será paga à Cemig a partir de 2017, por meio da cobrança de valores nas tarifas dos consumidores. Outras elétricas também serão beneficiadas com o pagamento dessas indenizações, como subsidiárias da Eletrobras, Copel e Cteep. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Exportação de veículos pode sofrer se real valorizar mais, diz Anfavea

As exportações brasileiras de veículos podem enfrentar dificuldades se o real ampliar a valorização para além de R$ 3,10 reais por dólar, afirmou nesta segunda-feira o presidente da Anfavea, Antonio Megale. A entidade estima que as vendas externas de veículos do Brasil devem subir 21,5% este ano, mas Megale afirmou que a valorização do real em 23% este ano pode fazer as exportações pisarem no freio. "O câmbio no nível atual ainda nos permite competir, mas se o real se apreciar mais, eu tenho certeza que poderemos ter problemas", afirmou o presidente da Anfavea. No acumulado do ano até julho, as exportações brasileiras de veículos têm alta de 20% sobre o mesmo período do ano passado, a 272,2 mil unidades. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Bolsa opera em queda; dólar sobe, vendido perto de R$ 3,22

A Bovespa operava em queda e o dólar comercial subia na manhã desta segunda-feira (22). Por volta das 10h10, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 0,62%, a 58.731,35 pontos, após fechar em queda de 0,11% na sexta-feira (19). No mesmo horário, a moeda norte-americana avançava 0,27%, a R$ 3,216 na venda, após comentários do vice-presidente do Federal Reserve, Stanley Fischer, de que o banco central norte-americano está perto de bater suas metas de pleno emprego e de 2% de inflação. O Banco Central realizou nesta manhã mais um leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólares, com oferta de até 10 mil contratos. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Comente as notícias no Direto da Bolsa

O Direto da Bolsa tem espaço para comentários. Deixe sua opinião sobre as principais notícias do dia sobre ações, câmbio e mercado financeiro no Brasil e no mundo. 

BC faz leilão de 10 mil contratos de compra de dólar no mercado futuro

O Banco Central realizou nesta segunda-feira (22) novo leilão de swaps cambiais reversos (equivalentes à compra futura de dólares). A oferta no leilão desta manhã foi de até 10 mil contratos. Foram vendidos 1.000 contratos com vencimento em 1º de setembro, 5.000 para 3 de outubro, 2.750 para 1º de novembro, e 1.250 para 2 de janeiro de 2017. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Exportações de derivados de petróleo da China disparam em julho

As exportações de diesel, gasolina e querosene da China dispararam em julho ante o ano anterior, segundo dados da alfândega divulgados nesta segunda-feira (22). Isso é um sinal de que o país, maior consumidor de matérias-primas do mundo, está tendo dificuldades de lidar com um excedente de combustíveis. As exportações de diesel aumentaram 181,8%, as vendas externas de gasolina subiram 145%, e as exportações de querosene saltaram 46%. A segunda maior economia do mundo importou 1,6 milhão de toneladas de gás natural liquefeito, uma queda de 16,4% ante o ano anterior, e aumentou suas compras de querosene no exterior em 15,2%. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Economistas melhoram projeções de inflação e PIB em 2017, aponta BC

Economistas consultados pelo Banco Central mantiveram a estimativa para o PIB (Produto Interno Bruto), inflação e juros para o fim de 2016. Para 2017, os economistas reduziram a previsão de inflação de 5,14% para 5,12% e melhoraram a previsão do crescimento da economia de 1,1% para 1,2%. Na semana passada, o Ministério da Fazenda revisou a projeção para o crescimento da economia em 2017 de 1,2% para 1,6%. Veja as estimativas para 2016 do Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (22) pelo BC:

  • PIB (Produto Interno Bruto): manteve-se em -3,20%;
  • Inflação: ficou em 7,31%
  • Taxa básica de juros (Selic): manteve-se em 13,75%;
  • Dólar: permaneceu em R$ 3,30 Deixe sua opinião (Com Reuters)
Leia Mais

Dólar opera em alta, vendido perto de R$ 3,22; acompanhe

O dólar comercial operava em alta no início dos negócios desta segunda-feira (22), após cair 0,81% na última sexta-feira (19). Por volta das 9h10, a moeda norte-americana avançava 0,33%, a R$ 3,2178 na venda, após comentários do vice-presidente do Federal Reserve, Stanley Fischer, de que o banco central norte-americano está perto de bater suas metas de pleno emprego e de 2% de inflação. O Banco Central realiza nesta manhã mais um leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólares, com oferta de até 10 mil contratos. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Bolsa do Japão fecha em alta de 0,32%; China cai 0,75%

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, perdia 0,37% nesta segunda-feira (22), às 7h55, após perder 0,3% na semana passada, enquanto o dólar subia com expectativas de que um sinal pode surgir do evento do Federal Reserve nesta semana de que o banco central norte-americano está se preparando para aumentar a taxa de juros. Representantes dos bancos centrais do mundo vão se reunir no encontro anual que começa na quinta-feira. Veja a variação das Bolsas:

  • Japão: +0,32%
  • Hong Kong: +0,26%
  • Cingapura: -0,1%
  • Austrália: -0,21%
  • Taiwan: -0,58%
  • Coreia do Sul: -0,68%
  • China: -0,75% Deixe sua opinião (Com Reuters)
Leia Mais

China deve diminuir custos de financiamento de empresas

O Conselho de Estado da China emitiu uma orientação sobre redução efetiva de custos de financiamento de empresas, no mais recente movimento para diminuir uma desaceleração econômica na segunda maior economia do mundo. O gabinete informou que vai manter ampla liquidez no sistema bancário enquanto mantém um ambiente monetário e financeiro apropriado, segundo comunicado publicado no site do governo. O comunicado informa ainda que o governo tem como objetivo reduzir a carga tributária anual sobre as empresas em mais de 500 bilhões de iuanes (US$ 75,16 bilhões) dentro de um ou dois anos. Deixe sua opinião (Com Reuters)

Conversor de moedas

Resultado:

Cursos Online
UOL Cursos Online

Câmbio

Dólar comercial - 03/11/2020 17h00
Compra Venda Variação
Dólar com. 5,7600 5,7609 +0,39%
Dólar tur. 5,7200 6,0700 +0,17%
Euro 6,7287 6,7303 +0,67%
Libra 7,4871 7,4888 +0,92%
Pesos arg. 0,0728 0,0729 -0,14%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Bolsas de Valores

Bovespa - 03/11/2020 18h55 - 96.318,76
Variação
Brasil | Bovespa +2,52%
EUA | Nasdaq +2.56%
França | CAC 40 +2.44%
Japão | Nikkei +1.82%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Ações de destaque

Ação Variação Cotação
Veja outras cotações

Commodities

Venda Variação
Petróleo (Brent) US$ 37,530 0,0%
Ouro US$ 1907,550 +0,62%
Prata US$ 24,170 +0,42%
Platina US$ 875,555 +1,02%
Paládio US$ 2302,003 +3,28%

Fonte Thompson Reuters

Inflação

Índice Mês Valor
IPCA jul.18 +0,33%
IPC-Fipe jul.18 +0,23%
IGP-M jul.18 +0,51%
INPC jul.18 +0,25%

Fonte Thompson Reuters

Indicadores

Valor Atualização
Salário Mínimo R$ 954,00 2018
Global 40 +112,32% 17.Mar.2020
TR 0,0% 17.Mar.2020
CDI +1,9% 03.Nov.2020
SELIC +6,5% 01.ago.2018
IPCA +0,33% jul.18

Fonte Thompson Reuters

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos