Bolsas

Câmbio

Direto da BolsaDireto da Redação

Cobertura de notícias sobre mercados, ações e investimentos no Brasil e no exterior

Vale propões conversão de ações preferenciais remanescentes

A diretoria da mineradora brasileira Vale propôs ao seu Conselho de Administração a convocação de uma assembleia geral para aprovar a conversão de ações remanescentes preferenciais (com prioridade na distribuição de dividendos) em ordinárias (com direito a voto), permitindo que a empresa migre para o segmento Novo Mercado da B3, a Bolsa brasileira. Pela proposta, será preservada a mesma razão adotada na conversão voluntária, que teve fim em 11 de agosto, de 0,9342 ação ordinária por cada ação preferencial, explicou a Vale. (Com Reuters)

Dólar fecha em queda de 1%, a R$ 3,146, de olho nas contas do governo

dólar comercial fechou esta sexta-feira (18) em queda de 1,03%, cotado a R$ 3,146 na venda. Na véspera, a moeda norte-americana subiu 1,02%, maior alta desde 20 de junho. Com isso, o dólar termina a semana com desvalorização acumulada de 0,89%. Investidores estavam cautelosos diante do movimento que terá de se feito pelo governo em busca de apoio para aprovar medidas para equilibrar as contas públicas. Entre elas estão o parcelamento de dívidas tributárias (Refis) e a reforma da Previdência, considerada essencial pelo mercado. (Com Reuters) Leia Mais

Bolsa sobe 1,09%, no maior nível em quase 6 meses; Petrobras ganha 4,21%

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta sexta-feira (18) em alta de 1,09%, a 68.714,66 pontos. É o maior nível desde 21 de fevereiro (69.052,02 pontos). Na véspera, a Bolsa caiu 0,9%. Com isso, o índice termina a semana com valorização acumulada de 2,01%, na quarta semana seguida de ganhos. Entre os destaques positivos, as ações preferenciais (com prioridade na distribuição de dividendos) da Petrobras dispararam 4,21%, a R$ 13,60, enquanto as ordinárias (com direito a voto em assembleia) avançaram 3,24%, a R$ 14,04. Os papéis foram influenciados por medidas de benefícios fiscais para o setor petrolífero. (Com Reuters) Leia Mais

Dólar opera em queda de 1%, perto de R$ 3,14; Bolsa avança 1%

O dólar comercial caía, e a Bolsa operava em alta nesta sexta-feira (18). Por volta das 16h10, a moeda norte-americana tinha baixa de 1,08%, a R$ 3,144 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, avançava 1,05%, a 68.688,43 pontos. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica nos Estados Unidos. (Com Reuters)

Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda; Portugal perde 1,09%

Das seis principais Bolsas de Valores da Europa, cinco fecharam em queda nesta sexta-feira (18). As ações das empresas aéreas caíram após o ataque com uma van em um ponto turístico de Barcelona. Os investidores também estavam preocupados com a estabilidade administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O índice FTSEurofirst 300 teve baixa de 0,73%, a 1.469 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,71%, a 374 pontos. Veja o desempenho dos principais mercados europeus nesta sessão:

  • Itália: +0,12%
  • Alemanha: -0,31%
  • Espanha: -0,56%
  • França: -0,64%
  • Inglaterra: -0,86%
  • Portugal: -1,09%  (Com Reuters)
Leia Mais

Reino Unido aprova compra de 1.900 pubs Punch pela Heineken

A Heineken evitou uma investigação mais aprofundada da compra de 1.900 pubs da Punch Taverns depois que o órgão regulador antitruste do Reino Unido aceitou as concessões oferecidas para aplacar suas preocupações em relação a preços e níveis de serviço. A Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA, na sigla em inglês) afirmou nesta sexta-feira (18) que está satisfeita com o fato de as questões levantadas terem sido resolvidas e decidiu que não será necessário realizar a chamada fase 2 de investigação. Leia Mais

Dólar opera em queda, perto de R$ 3,15; Bolsa sobe mais de 1%

O dólar comercial caía, e a Bolsa operava em alta nesta sexta-feira (18). Por volta das 15h15, a moeda norte-americana tinha baixa de 0,82%, a R$ 3,152 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava valorização de 1,1%, a 68.722,51 pontos. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica nos Estados Unidos. (Com Reuters)

Ações da Petrobras operam em alta de mais de 3% na Bolsa

As ações da Petrobras operavam em alta de mais de 3% nesta sexta-feira (18), reagindo a medidas de benefícios fiscais para o setor petrolífero, incluindo a renovação do chamado Repetro, um regime especial de exportação e importação de bens destinados a atividades de pesquisa e produção de petróleo. Segundo analistas da XP Investimentos, o fim desse benefício "poderia inviabilizar a atividade de exploração no país". Por volta das 13h50, os papéis ordinários (com direito a voto) da Petrobras (PETR3) subiam 3,09%, a R$ 14,02, enquanto os preferenciais (que dão prioridade na distribuição de dividendos) (PETR4) avançavam 3,91%, a R$ 13,56.  Leia Mais

Dólar opera em queda, perto de R$ 3,16; Bolsa sobe mais de 1%

O dólar comercial caía, e a Bolsa operava em alta nesta sexta-feira (18). Por volta das 13h20, a moeda norte-americana tinha baixa de 0,72%, a R$ 3,156 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava valorização de 1,12%, a 68.736,24 pontos. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica nos Estados Unidos. (Com Reuters)

Eletrobras diz que vai recorrer de decisão que a obriga a pagar R$ 3 bi

A Eletrobras vai recorrer da decisão da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que determinou que a estatal devolva cerca de R$ 3 bilhões no fundo do setor elétrico conhecido como CCC (Conta de Consumo de Combustíveis), disse nesta quinta-feira (18) o presidente-executivo da empresa, Wilson Ferreira Jr. Segundo a empresa, os números da Aneel são questionáveis e, pelas contas da estatal, a elétrica deve receber R$ 2 bilhões e não devolver os cerca de R$ 3 bilhões. (Com Reuters)  Leia Mais

'É um ritmo medíocre, mas é uma retomada', diz ex-ministro

O economista Maílson da Nóbrega está mais otimista que a média do mercado financeiro em relação à retomada da economia brasileira. Enquanto analistas ouvidos pelo Banco Central preveem crescimento de 2% para o país em 2018, Maílson cita uma taxa de 2,8%. Ontem, o Banco Central informou que seu Índice de Atividade (IBC-Br) fechou o segundo trimestre deste ano com expansão de 0,25%.  Ex-ministro da Fazenda do governo de José Sarney e sócio da Tendências Consultoria Integrada, Maílson prevê a aceleração da retomada neste segundo semestre, principalmente pela recuperação do consumo. (Com Estadão Conteúdo) Leia Mais

Dólar opera em queda, vendido perto de R$ 3,17, e Bolsa sobe

O dólar comercial caía, e a Bolsa operava em alta nesta sexta-feira (18). Por volta das 12h20, a moeda norte-americana tinha baixa de 0,36%, a R$ 3,167 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava valorização de 0,57%, a 68.361,17 pontos. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica e também após o atentado em Barcelona. (Com Reuters)

Dólar opera em queda, vendido perto de R$ 3,17, e Bolsa sobe

O dólar comercial caía, e a Bolsa operava em alta nesta sexta-feira (18). Por volta das 11h10, a moeda norte-americana tinha baixa de 0,14%, a R$ 3,174 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava valorização de 0,3%, a 68.180,59 pontos. Na véspera, a Bolsa havia fechado com ganho de 0,9%. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica e também após o atentado em Barcelona. (Com Reuters)

Rombo de R$ 159 bi: quem aplicou no Tesouro pode levar calote?

O governo não tem conseguido arcar com as próprias despesas. Acabou de aumentar a previsão de rombo deste ano de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões. Se o governo não está conseguindo pagar as próprias contas, será que vai honrar os investimentos feitos no Tesouro Direto? Quando você compra um título emitido pelo Tesouro, na prática, está emprestando dinheiro para o governo federal durante um determinado tempo (até o vencimento do título), em troca de uma remuneração (taxa de juros). Então, será que há risco de calote? Especialistas afirmam que não.  Leia Mais

Petrobras e governo travam disputa de US$ 30 bilhões, diz jornal

A Petrobras (PETR4) e o governo travam, no momento, uma disputa em torno da revisão do contrato de Cessão Onerosa de exploração de 5 bilhões de barris de petróleo na área do pré-sal, feito pela União com a estatal em 2010, informou o jornal "Valor Econômico" nesta sexta-feira (18). A Petrobras alega que é credora de US$ 30 bilhões, mas os ministérios da Fazenda e do Planejamento consideram que é a empresa que deve o mesmo montante ao governo, informaram duas fontes da área econômica ao Valor. "Existe uma pequena diferença de entendimento em torno de valores", ironizou uma fonte. (Com Reuters) 

Fundo de Cingapura reduz participação na Kroton a 4,97%

O fundo de Cingapura GIC Private Limited reduziu sua participação na Kroton Educacional (KROT3) a 4,97% do capital social, com 80.808.179 ações, informou a empresa brasileira de educação nesta sexta-feira (18). (Com Reuters) 

Dólar opera em queda, vendido perto de R$ 3,16, e Bolsa sobe

O dólar comercial caía, e a Bolsa operava em alta nesta sexta-feira (18). Por volta das 10h10, a moeda norte-americana tinha baixa de 0,49%, a R$ 3,163 na venda. No mesmo horário, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, registrava valorização de 0,73%, a 68.475,55 pontos. Na véspera, a Bolsa havia fechado com ganho de 0,9%. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica e também após o atentado em Barcelona. (Com Reuters)

Dólar abre o dia operando em queda, vendido perto de R$ 3,17

O dólar comercial abriu os negócios desta sexta-feira (18) operando em queda, após subir 1,02% na véspera. Por volta das 9h, a moeda norte-americana se desvalorizava 0,22%, a R$ 3,171 na venda. Investidores monitoram o cenário interno, com a articulação do governo para reunir apoio no Congresso para as reformas. No exterior, há preocupação com a capacidade do governo Donald Trump de implementar sua política econômica e também após o atentado em Barcelona. (Com Reuters)

Após ataque terrorista em Barcelona, Bolsas da Ásia fecham em queda

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam em queda nesta sexta-feira (18), acompanhando o recuo global na véspera, diante das crescentes dúvidas sobre a capacidade do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de cumprir sua agenda econômica. O mercado também reagiu ao ataque terrorista em Barcelona, na Espanha, na quinta. Uma van atropelou várias pessoas e deixou 13 mortos e mais de 100 feridos. Veja as variações dos mercados da região:

  • Japão: -1,18%
  • Hong Kong: -1,08%
  • China: +0,02%
  • Coreia do Sul: -0,14%
  • Taiwan: -0,46%
  • Cingapura: -0,52%
  • Austrália: -0,56%. (Com Reuters)
Leia Mais

Conversor de moedas

Resultado:

Câmbio

Dólar comercial - 22/09/2017 16h58
Compra Venda Variação
Dólar com. 3,1269 3,1276 -0,53%
Dólar tur. 3,1100 3,3000 -0,6%
Euro 3,7349 3,7364 -0,31%
Libra 4,2158 4,2173 -1,08%
Pesos arg. 0,1805 0,1808 -0,55%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Bolsas de Valores

Bovespa - 22/09/2017 17h20 - 75.389,75
Variação
Brasil | Bovespa -0,28%
EUA | Nasdaq +0.07%
França | CAC 40 +0.27%
Japão | Nikkei -0.25%

Fonte Thompson Reuters

Veja outras cotações

Ações em destaque

Ação Variação Cotação
Veja outras cotações

Commodities

Venda Variação
Petróleo (Brent) US$ 59,220 0,0%
Ouro US$ 1297,780 0,0%
Prata US$ 17,039 0,0%
Platina US$ 935,500 0,0%
Paládio US$ 921,500 0,0%

Fonte Thompson Reuters

Inflação

Índice Mês Valor
IPCA ago.17 +0,19%
IPC-Fipe ago.17 +0,1%
IGP-M ago.17 +0,1%
INPC ago.17 -0,03%

Fonte Thompson Reuters

Indicadores

Valor Atualização
Salário Mínimo R$ 937,00 2017
Global 40 +112,32% 23.Set.2017
TR 0,0% 23.Set.2017
CDI +8,14% 23.Set.2017
SELIC +8,25% 06.set.2017
IPCA +0,19% ago.17

Fonte Thompson Reuters

Últimas notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos