Bolsas

Câmbio

Está angustiado no trabalho? Reflita sobre os objetivos da sua carreira

Daniela do Lago

Daniela do Lago

  • Getty Images/Thinkstock

A angústia na vida executiva é algo digno de reflexão. Estava analisando os meus atendimentos dos processos de coaching do último ano e, para minha surpresa, o motivo mais trabalhado com os executivos foi a angústia profissional.

Independentemente do nível hierárquico, momento de carreira, idade ou situação financeira, todos sofriam com a angústia que pesava sobre suas carreiras.

Por definição, a angústia é a sensação psicológica que se caracteriza pelo sufocamento, pelo peito apertado, ansiedade, insegurança, mau humor e com ressentimentos aliados a alguma dor.

Por que os profissionais sentem angústia sobre os rumos de sua carreira? A resposta é simples, mas não é fácil de ser resolvida: a maioria dos profissionais que sentem angústia estão vivendo no piloto automático, se distraindo para fazer as inúmeras tarefas urgentes de todos os dias.

Sempre estão correndo, mas não sabem ao certo para qual direção. Por isso tomam decisões erradas diariamente, por desconhecerem seus reais propósitos profissionais.

Salário alto, trabalho ruim

Vou compartilhar o exemplo real de uma cliente que atendi. Darei nome fictício de Lia.

Lia amava seu trabalho. Atuava como gerente numa grande multinacional e recebia um salário de R$ 22 mil. Ela tinha um bom desempenho e alcançava resultados, por isso recebeu uma proposta da concorrência para assumir um cargo de diretoria e ganhar um salário de R$ 36 mil. Um baita aumento!

Como não existem lugares de diretores e presidentes para todos na empresa, resolveu aceitar o desafio. Afinal, uma boa oportunidade para crescer na carreira não aparece todos os dias.

Acontece que Lia não se atentou para algo muito importante que estava em jogo com sua decisão: seus valores.

Lia residia perto da empresa, o que permitia tomar café da manhã com seus dois filhos pequenos, além de levar e buscar na escola. Cuidava das crianças e conseguia fazer seus exercícios físicos.

A nova empresa fica distante de sua casa, tem que atravessar a cidade e já não consegue ver seus filhos acordados durante a semana, pois tem que sair muito cedo e chegar muito tarde. Teve que contratar uma babá e transporte escolar, tanto de manhã quanto à noite, para ajudar com as crianças.

Com os desafios do novo cargo, mesmo aos finais de semana, Lia não consegue se desligar da empresa, pois tem que estar online para responder prontamente problemas com clientes.

Tem sentido culpa pela falta de tempo dedicado aos filhos e marido. Para lidar com isso, Lia faz terapia.

Após alguns meses de lua de mel com o novo emprego, ela teve uma grande surpresa: a empresa tem os mesmos problemas da anterior. Alguns até piores. Depois de meses de angústia, Lia me procurou para fazer processo de coaching e, assim, reorganizar os rumos de sua carreira.

Mudança saiu cara

Vamos analisar a decisão que Lia tomou de mudar de empresa. Será que realmente foi uma boa oportunidade para ela?

Com absoluta certeza, o aumento salarial saiu muito mais caro, pois Lia caiu numa armadilha profissional. Ela não estava desperta para agir na direção do seu propósito. À medida que toma uma decisão, automaticamente terá que lidar com a consequência de suas escolhas.

Não adianta mudar de ambiente, mas "levar você com você". Os problemas tendem a se repetir. Isso acontece sempre que pensamos somente em mudanças de ambiente. Isso pode ser uma resposta a problemas ocasionais, mas dificilmente atacam as causas.

Por isso chamamos essas mudanças de "remediativas". Elas apenas remediam o problema, mas dificilmente geram grandes transformações.

Pare de cair nas armadilhas

Quando não sabe o que é realmente importante para você, tudo parece essencial. Como tudo parece importante, não pode deixar passar nada. Infelizmente, quando isso acontece, outras pessoas o veem agindo dessa forma e, assim, esperam que faça tudo. 

Com isso, acaba ficando tão ocupado que não sobra tempo para pensar sobre o que é realmente importante para você.

Será que não chegou o momento de parar e rever seu caminho, para ajustar a direção de sua carreira?

Perguntas para se conhecer

Como coach, minha profissão é fazer perguntas que podem ajudá-los a refletir e começar no processo de autoconhecimento:

  • Por que você acorda e vai para o trabalho todos os dias?
  • Por que você escolheu essa empresa para trabalhar?
  • Qual é o seu propósito no trabalho?
  • Qual é a diferença que você faz?
  • O que você traz para a sociedade, sendo você no seu trabalho?

Quero despertar em você a autorreflexão sobre como tem tratado sua vida pessoal e profissional. Desligue esse piloto automático. Com ele, você não conduz, mas é conduzido por uma rotina, sem sequer saber para qual direção.

Passe a vislumbrar diante de si apenas seu propósito e o que realmente importa para você.

O escritor James Hunter, autor de "O Monge e o Executivo" (Sextante), diz que "os seres humanos têm um profundo anseio por significado e propósito em sua vida e retribuirão a quem os ajudar a atender a essa necessidade. Eles querem acreditar que o que estão fazendo é importante, que serve a um desígnio e que agrega valor ao mundo". Isso vale para todos nós.

Gostou do artigo? Útil para alguém? Então compartilhe!

Marketing pessoal: saiba como vender seu peixe no trabalho

  •  

Daniela do Lago

Daniela do Lago é especialista em comportamento no trabalho, coach de carreira, mestre em administração e professora.

UOL Cursos Online

Todos os cursos