Bolsas

Câmbio

Falar mais alto ajuda a ser promovido no trabalho, mas não exagere

Reinaldo Polito

Reinaldo Polito

  • Getty Images

A recomendação é que você fale um pouco mais alto do que seria suficiente para que as pessoas possam ouvir. Esse volume adicional, desde que não incomode principalmente as pessoas que estejam mais próximas, pode ser uma boa demonstração de interesse e envolvimento com relação à mensagem transmitida.

Se não ocorreu com você, deve ter já acontecido com alguém que conheça. Depois de dizerem algo, pessoas do relacionamento mais próximo, especialmente cônjuges e filhos reclamam: "Fale para fora, você está falando para dentro". E não é apenas porque a pessoa se tornou inaudível, mas também pelo fato de se mostrar sem vida, sem energia, sem disposição.

Na vida corporativa, esse comportamento inibido, com excesso de recato, pode ser a morte para a carreira do profissional. Num mundo tão competitivo, onde os espaços são disputados milimetricamente, falar para dentro pode passar ideia de alguém que não esteja preparado para os embates do mercado.

Por isso, soltar a voz, sem receio de que censurem seu comportamento, levando em conta o bom senso, lógico, pode ser um bom indicativo de segurança, domínio do conhecimento da função e dos assuntos ligados à sua atividade. É o comandante que a organização precisa para liderar no campo de batalha.

Cuidado, entretanto, para não ultrapassar as fronteiras da sua baia. Falar mais alto quando for preciso para que as pessoas ouçam e se sintam envolvidas pela mensagem ou pela causa que esteja abraçando é uma coisa. Agora, falar alto nas situações em que sua conversa não tem nada a ver com os que estejam à sua volta é outra completamente distinta.

De vez em quando, ouço gente falando alto nos restaurantes, aeroportos, filas de teatro e tantos outros lugares públicos. Essa atitude é falta de educação e de respeito com quem está ao lado. Percebo nas pessoas que ouvem sem querer ouvir uma censura velada e uma espécie de vergonha alheia.

Tome cuidado maior ainda na vida corporativa. Profissionais que falam com volume de voz que ultrapassam o seu espaço físico podem ser vistos como prepotentes, vaidosos, inconsequentes. Esse comportamento talvez seja até mais grave para o sucesso da carreira que o daquele que fala para dentro.

É questão de equilíbrio e bom senso. Observe se não incorre no primeiro erro –o de alguém que fala baixo, para dentro. Ou se não está pecando por falar alto demais, fora do seu quadrado.

Só o fato de você analisar sua maneira de agir já será um passo importante para que se comporte de forma adequada em qualquer circunstância. 

Superdicas da semana:

  • Fale com volume de voz acima do normal para que as pessoas possam ouvir
  • Cuidado para não incomodar as pessoas mais próximas com o volume alto da sua voz
  • Se as pessoas não precisarem ouvir o que você diz, use volume de voz para quem esteja na sua roda de conversa.
  • Use o bom senso para medir o volume da sua voz --de acordo com a necessidade da circunstância.

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante, e "Assim é que se Fala", "Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas", "As Melhores Decisões não Seguem a Maioria" e "Como Falar Corretamente e sem Inibições", publicados pela Editora Saraiva.

Para outras dicas de comunicação, entre no meu site (link encurtado:http://zip.net/bcrS07)
Escolha um curso adequado as suas necessidades (link encurtado:http://zip.net/bnrS3m)
Siga no Instagram: @reinaldo_polito

Reinaldo Polito

Autor de 25 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

UOL Cursos Online

Todos os cursos