PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Reinaldo Polito

Os olhos falam muito nas lives

gianni/Flickr
Imagem: gianni/Flickr
Reinaldo Polito

Autor de 31 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

Colunista do UOL

04/11/2020 04h00

O homem retrata-se inteiramente na alma; para saber o que é e o que deve fazer, deve olhar-se na inteligência, nessa parte da alma na qual fulge um raio da sabedoria divina.
Platão

Talvez uma das frases mais repetidas seja a de que "Os olhos são o espelho da alma". Repetiram tanto essa citação que acabou se desgastando. Hoje, quando uma pessoa se vale desse pensamento corre o risco de ser vista como alguém sem muita imaginação.

O problema está mesmo no excesso de uso, pois a verdade que o pensamento encerra tem muita profundidade. Quase sempre, conseguimos ver nos olhos das pessoas o que elas estariam sentindo. Se tomarmos os sentimentos mais extremos como "alegria" (olhos brilhantes, vivos, abertos) e "tristeza" (olhos com uma espécie de névoa embaçando o brilho, caídos, sem vivacidade), não será difícil observar pelo olhar o que se passa no interior de uma pessoa.

Da mesma forma, sentimentos não tão evidentes como as ansiedades, os temores, as dúvidas, os constrangimentos podem vir a ser detectados porque entram em cena outros fatores - a face, expressão corporal, o tom de voz.

Reich explica

Reich afirma que "a linguagem do organismo vivo se expressa em movimentos; por isso falamos de movimentos expressivos. (...) Alguma coisa no sistema vivo 'pressiona a si mesma para fora' e, portanto, se 'move'. (...) No sentido literal, 'emoção' significa 'mover para fora'; ao mesmo tempo é um movimento expressivo. O processo fisiológico do movimento expressivo está ligado inseparavelmente a um significado facilmente 'inteligível', que costumamos chamar de expressão emocional".

Como vimos, nem sempre os sentimentos das pessoas, especialmente os mais sutis, podem ser detectados com facilidade. Como diz Reich ainda: "além da função de comunicar, a linguagem humana também funciona como defesa. A palavra falada esconde a linguagem expressiva do núcleo biológico".

Ainda assim, por mais leves que sejam os sinais, quase sempre será possível captar o que alguém efetivamente esteja sentindo. Às vezes, quem observa não nota conscientemente, por exemplo, qual a mensagem que os olhos comunicam, mas inconscientemente haverá essa percepção

Na comunicação as expressões ou sinais faciais têm papel fundamental e nos ajudam a ter uma compreensão mais correta na interpretação da mensagem. Esses sinais podem também nos indicar de forma mais clara o estado emocional da pessoa. Os olhos constituem o ponto mais expressivo da face e são um fator-chave quando nos comunicamos com os outros, sendo talvez a forma mais sutil de expressão corporal de que dispomos.

Tanto assim que Aristóteles Onassis, um dos homens mais ricos e poderosos do mundo, costumava usar óculos escuros nas ocasiões em que participava de negociações. Sabia que lidava com gente astuta, e que o menor sinal de seus olhos poderia revelar o que estivesse sentindo.

O olhar é importante nas lives

Ao participar de uma live, os olhos chegam a ser um dos pontos mais comunicativos e expressivos durante a conversa, tanto de quem fala como de quem ouve. Quem está com a palavra comunica a mensagem com as palavras, com o tom da voz, com as pausas, com a expressividade do semblante e com os olhos. Quem ouve será observado pela expressividade do semblante e comunicação dos olhos.

Portanto, os olhos se expressam quando as pessoas falam e quando elas ouvem. Por isso, quem participa de lives deve dar atenção especial à comunicação visual. Precisa aprender a olhar para a lente da câmera da mesma forma como olha para uma pessoa nas conversas presenciais.

Um equívoco comum

Um equívoco comum é o participante da live olhar para sua imagem quando está falando, pois imagina que assim estará também se comunicando com o interlocutor e com as pessoas que estão assistindo. Com um pouco de treino e disciplina será possível manter esse contato correto com a lente da câmera.

Se em certos momentos, ao falar ou ouvir, a pessoa desviar os olhos da lente enquanto elabora a frase que vai transmitir, ou para se concentrar no que está sendo comunicado, não haverá problema, pois agimos assim no dia a dia, o que indica ser uma atitude natural.

Por outro lado, se fugir constantemente com os olhos, desviando o olhar da lente da câmera, poderá passar a ideia de inibição, desconforto, desinteresse e falta de envolvimento. Esse é um aspecto que precisa ser cada vez mais treinado e aprimorado na comunicação a distância - saber olhar de maneira correta para a câmera.

Uma boa forma de aprender como agir com o olhar ao participar de lives é observar como as pessoas se comportam nessas situações. Com os erros e acertos que apresentam, conseguimos aperfeiçoar o nosso próprio desempenho.

Superdicas da semana

  • Quando participar de uma live olhe para a lente da câmera
  • Treine olhar para lente com segurança e naturalidade
  • Olhe para a lente da câmera como olha para as pessoas no dia a dia
  • Não haverá problema se nas lives desviar os olhos de vez em quando

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante. "Superdicas para escrever uma redação nota 1.000 no ENEM", "Como falar de improviso e outras técnicas de apresentação", "Oratória para advogados", "Assim é que se Fala", "Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas" e "Como Falar Corretamente e sem Inibições", publicados pela Editora Saraiva. "Oratória para líderes religiosos", publicado pela Editora Planeta.

Siga no Instagram: @polito

Siga pelo facebook.com/reinaldopolito

Pergunte para saber mais contatos@polito.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL