PUBLICIDADE
IPCA
+0,31 Abr.2021
Topo

Reinaldo Polito

Faustão de malas prontas. O bom filho à casa torna

Faustão: seu carisma atribui a ele uma credibilidade que poucos conseguem - Globoplay/Reprodução
Faustão: seu carisma atribui a ele uma credibilidade que poucos conseguem Imagem: Globoplay/Reprodução
Reinaldo Polito

Autor de 31 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

Colunista do UOL

04/05/2021 04h00

O sucesso é o único pecado imperdoável a nossos semelhantes.
Ambroise Bierce

Faustão está de malas prontas para sair da Globo, e retornar à sua antiga casa, a TV Bandeirantes. Foram mais de 30 anos comandando um bem-sucedido programa de auditório na Vênus Platinada. Dificilmente alguém conseguirá suplantá-lo em tempo de permanência e audiência. Nesse período, embora mantivesse a irreverência de sempre, foi se renovando para atender às expectativas de telespectadores cada vez mais exigentes.

É considerado também o melhor vendedor da televisão. Os produtos que anuncia vendem algumas vezes mais do que se fossem anunciados por outro apresentador. É um fenômeno! Tudo indica que o seu carisma atribua a ele uma credibilidade que poucos conseguem.

Acompanho Fausto Silva há décadas, desde a época em que era repórter esportivo. Por causa de seu desempenho, passou a atuar com Osmar Santos no programa Balancê, no início dos anos 1980, na Rádio Excelsior, que mais tarde viria a ser a CBN. Sua presença de espírito e rapidez de raciocínio, provavelmente, o conduziram à televisão.

Levava bêbados ao seu programa

Uma de suas antigas colaboradoras, Lucimara Parisi, que foi minha aluna, me contou que na época do programa Balancê, na Rádio Excelsior, de vez em quando tinha de ir aos bares da região à procura de alguém, bêbado ou não, que fosse bom contador de histórias, ou muito engraçado, para levar à emissora. Chegando lá Faustão cuidava para que a personagem virasse atração. Tudo improvisado.

Eu me perguntava sempre: como um comunicador com essa qualidade não estava na televisão? Bastava analisar aqueles que atuavam nas diversas emissoras e concluir que não seria possível encontrar alguém com a sua competência. Ele sempre foi naturalmente engraçado, improvisador incomparável e com extraordinária presença de palco. Se fosse para a televisão, com certeza, seria bem-sucedido.

Foi o que ocorreu. Em 1984, depois de rápida passagem pela TV Gazeta, em menos de um ano foi para a TV Record. Seu nome foi projetado nacionalmente na TV Bandeirantes, onde comandou o programa "Perdidos na noite", de 1986 até 1988. Com estrutura precária, sequências improvisadas, sem a preocupação com o politicamente correto, Faustão se tornou um fenômeno da televisão. Tanto que a Globo não hesitou em levá-lo para atuar na sua programação.

Fui um de seus primeiros entrevistados

Na época do "Perdidos na noite" tive um momento com Faustão que marcaria a minha carreira de escritor. Em 1986 eu acabara de lançar o meu primeiro livro "Como falar corretamente e sem inibições".

Eu procurava espaços na mídia para divulgá-lo, mas quem já andou com livro debaixo do braço batendo de porta em porta para conseguir mesmo que seja uma pequena nota no rodapé nos jornais, ou um brevíssimo comentário nas emissoras de rádio e televisão, sabe como é difícil.

Fez a plateia barulhenta ficar em silêncio

Dei sorte. O prefácio do livro foi feito pelo mais competente apresentador da televisão brasileira de todos os tempos, e o maior orador que já vi em ação, Blota Júnior. Coincidentemente foi esse grande comunicador que sugeriu a ida de Fausto Silva para a televisão. Faustão tinha profunda admiração por Blota.

Provavelmente por esse motivo ele me convidou para uma entrevista em seu programa. Talvez eu tenha sido um dos primeiros a ser entrevistado de maneira séria por ele. O Teatro Zaccaro, que servia de palco para o programa, estava com seus 1.800 lugares lotados.

Foi uma ótima entrevista. Faustão, com sua excepcional capacidade de liderança, conseguiu fazer com que aquela plateia, normalmente barulhenta, ficasse em silêncio durante toda a nossa conversa. Leu trechos da obra, falou da sua amizade com Blota Júnior, destacou a relevância da comunicação e, principalmente, a importância de todas as pessoas se expressarem bem em público.

Totalmente perdido

No final da entrevista, quando eu me retirava do palco, Faustão olhou para aquele professor de oratória dentro de um contexto totalmente inusitado, fez uma pausa e disse, com sua inimitável presença de espírito: esse foi o professor Reinaldo Polito, aqui no "Perdidos na noite" - totalmente perdido!

Faustão foi um pé de coelho. O livro conquistou sucesso estrondoso. Vendeu mais de 700 mil exemplares, permaneceu 3,5 anos nas listas dos mais vendidos do país e chegou agora na 112ª edição. Parece que Faustão jamais se esqueceu daquele momento, pois sempre que lanço um livro ele faz questão de destacá-lo em seus comentários.

Ao se referir a mim, diz que me conhece há mais de 30 anos, que somos "sócios" desde a época do "Perdidos na noite", e que atesta a minha seriedade como professor de oratória. Assim que faz esses comentários, a minha caixa de e-mails e o WhatsApp lotam de mensagens me cumprimentando.

Sempre me prestigiou

Todas as vezes em que participei de programas na TV Globo, ele fez questão de dar destaque, chamando a atenção para a minha presença. Como, por exemplo, nos quatro episódios do Fantástico, ministrando aulas para três pessoas que tinham muitas deficiências de comunicação, até que se transformassem em bons oradores.

A sua volta à TV Bandeirantes ocorre em outro momento da sua vida. Está mais experiente, realizado financeiramente, sem nenhuma necessidade de provar sua competência, pois todos o conhecem muito bem. Embora atuasse com certa liberdade na Globo, imagino que se sentirá ainda mais livre na velha nova casa.

Tomara que se sinta feliz com o trabalho que irá realizar, e que, principalmente, continue a dar alegria às pessoas que o acompanham há tanto tempo. Tem tudo para continuar se reinventando e tendo o sucesso que sempre teve.

Superdicas da semana

  • Explore da melhor maneira que puder a sua presença de espírito
  • Aprenda a improvisar. Essa habilidade pode ser muito útil
  • O sucesso, quase sempre, exige uma longa jornada
  • Todas as habilidades que desenvolvemos no princípio servirão no futuro
  • Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "Como Falar Corretamente e sem Inibições", "Comunicação a distância", "Os segredos da boa comunicação no mundo corporativo" e "Oratória para advogados", publicados pela Editora Saraiva. "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante.

Siga no Instagram: @polito

Siga pelo facebook.com/reinaldopolito

Pergunte para saber mais contatos@polito.com.br