Querer ser perfeito pode atrapalhar desempenho em entrevista de emprego

Roberto Shinyashiki

Roberto Shinyashiki

  • Getty Images/iStockphoto

Com muitas empresas enxugando o quadro de funcionários e postos de trabalho sendo fechados por causa do atual momento de instabilidade econômica que o Brasil atravessa, os profissionais que estão em busca de uma recolocação encontram dificuldades até mesmo para conseguir uma entrevista de emprego.

Quando são chamados para uma conversa com o recrutador, e até mesmo com o futuro gestor, precisam encarar o momento como uma grande oportunidade. Estar preparado pode ser fator determinante para a conquista da tão sonhada vaga.

Apesar de o momento ser de muita tensão e expectativa para muitos candidatos, eu vejo que muitas pessoas ficam estressadas durante a entrevista de emprego porque estão sempre pensando que precisam ser perfeitas, não podem cometer erros, têm que saber responder tudo e precisam ter uma atitude impecável.

Mas é preciso ter muito cuidado, porque essa ansiedade por buscar a perfeição acaba levando o candidato ao estresse e a uma ansiedade exagerada e desnecessária.

Empresa quer solução para problema

Na hora da entrevista, o profissional precisa ter em mente que o recrutador ou a pessoa que está fazendo a entrevista só tem uma preocupação: contratar uma pessoa que resolva algum problema da empresa.

Por isso, é muito importante que o candidato esteja muito bem preparado, estude, busque informações sobre a empresa da qual participará do processo de seleção e concentre todos os esforços para mostrar que é um profissional capaz de ajudar essa companhia.

Quando a gente foca a atenção no outro, a gente tira a angústia. Eu costumo sempre traçar um paralelo dessa situação com a turbulência no avião. Se a pessoa ficar quieta olhando para dentro de si, vai ficar ansiosa, estressada e preocupada. Mas se ela tiver alguém ao lado que precise dela, só o ato de ajudar faz com que ela se esqueça de si e relaxe. Dessa forma, o medo diminui --ou até passa.

Não seja arrogante

Outro momento em que o candidato deve ter bastante atenção é na hora de se comunicar com o entrevistador para não passar a imagem de uma pessoa arrogante. A pessoa arrogante fala de si o tempo todo, enquanto a pessoa confiante fala do outro durante a maior parte do tempo. A pessoa arrogante não se comunica. Já a pessoa confiante cria vínculos por meio do olhar.

Quem é arrogante não se importa com o outro, fala sem prestar atenção na pergunta, na expressão facial e na postura corporal do outro. A pessoa confiante sabe se impor. É muito importante que o profissional entenda quais são essas diferenças para ter um bom desempenho na hora da entrevista. 

Acredite em si e dedique-se às oportunidades da vida.

Roberto Shinyashiki

Roberto Shinyashiki é palestrante e autor best-seller com mais de 7,5 milhões de livros vendidos em todo o mundo.

UOL Cursos Online

Todos os cursos