PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

A Companhia

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

É hora de investir em empresas exportadoras como a JBS?

Dirceu Portugal/Foto Arena/Estadão Conteúdo
Imagem: Dirceu Portugal/Foto Arena/Estadão Conteúdo
Conteúdo exclusivo para assinantes
Márcio Anaya

Jornalista especializado em Economia, com pós-graduação em Mercado de Capitais pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi) – USP. Trabalhou como repórter e editor de companhias abertas por cerca de 20 anos, integrando as redações da Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Atua desde 2018 como colaborador de portais de investimento e entidades sem fins lucrativos

Colaboração para o UOL, de São Paulo

15/03/2022 09h00

Esta é uma versão online resumida da edição desta semana da newsletter A Companhia, que detalha os dados de uma empresa em destaque no mercado. Para assinar o boletim semanal e ter acesso ao conteúdo completo, clique aqui.

O destaque da semana em A Companhia fica por conta da JBS (JBSS3), selecionada por Sérgio Berruezo, analista de research da Ativa Investimentos. A instituição tem recomendação de compra para as ações da empresa.

A JBS encerrou o terceiro trimestre de 2021 (último balanço disponível) com lucro líquido de R$ 7,6 bilhões, resultado 142% maior em relação a igual período do ano anterior. A receita líquida avançou 32,2% no intervalo, totalizando R$ 92,6 bilhões.

Neste ano, as ações do frigorífico registram queda de 6,9%, até o dia 10 de março. Em 2021, os papéis acumularam valorização de 75,7%.

Saiba mais sobre a JBS

A JBS é a maior produtora de proteínas do mundo e, segundo sua última apresentação institucional (considerando as receitas do terceiro trimestre de 2021), a companhia ocupa também o topo do ranking global no setor de alimentos.

O grupo está presente em mais de 20 países, com negócios concentrados nos Estados Unidos (51%), Ásia (16%) e Brasil (12%). São mais de 450 unidades e escritórios ao redor do mundo, reunindo mais de 250 mil colaboradores.

A empresa prevê divulgar seu demonstrativo financeiro relativo ao quarto trimestre do ano passado no dia 21 de março.

Por que a JBS é uma oportunidade para investir?

Em sua análise, Berruezo ressalta que mais de 70% da receita da JBS é proveniente de operações nos EUA, que passam por um momento bastante positivo desde o ano passado, com a abertura do setor de "food service" (restaurantes). Ele cita também o ciclo bovino favorável aos frigoríficos, o que possibilitou repasses de preços acima da inflação com volumes de venda sustentáveis.

"Além disso, o alto patamar do dólar em relação ao real tem ajudado muito a geração de caixa da JBS, que conseguiu pagar robustos dividendos", afirma o especialista. "A empresa fez ainda uma série de aquisições de pequeno e médio porte e promoveu um programa bastante relevante de recompra de ações, gerando valor aos acionistas em 2021."

Outros destaques são a boa diversificação geográfica e marcas fortes em variados segmentos - como bovinos, suínos e aves -, além da baixa alavancagem financeira, especialmente se comparada aos níveis históricos.

Pontos a favor

  • Momento favorável das operações norte-americanas;
  • Portfólio diversificado geograficamente e também em relação a produtos, com operações nos EUA, Brasil, Austrália e Europa, operando no segmento de bovinos, suínos e frango, além de produtos plant-based (alimentos à base de plantas);
  • Forte demanda por carne bovina na China, derivada de mudanças nos hábitos de consumo, além da expansão da classe média no país asiático;
  • O ciclo bovino no Brasil deve começar a melhorar a partir do quarto trimestre de 2022, como indicam número de retenção de fêmeas e vacinação de bezerros.

Pontos contra

  • Dólar tem apresentado queda no início deste ano. Caso a situação se sustente, o fluxo de caixa em reais da JBS tende a cair, já que boa parte de sua receita é dolarizada;
  • Número de abates de fêmeas tem indicado que o ciclo bovino nos EUA deve começar a se inverter e ficar menos favorável aos frigoríficos a partir do quarto trimestre de 2022. Esse segmento é responsável por mais de 70% da receita da JBS;
  • A Seara, uma das marcas do grupo JBS, tem registrado pressão nas margens de lucro, em razão dos preços elevados dos grãos - principal insumo utilizado pela companhia. Os altos valores derivam de quebras de safras e da crise na Ucrânia, que está em guerra com a Rússia.

Exclusivo: Análise gráfica, avaliação de preço e perfil de investidor

Acesse a versão integral da newsletter A Companhia para ver as perspectivas da empresa no médio e longo prazo e para saber para que perfil de investidor esta ação é mais indicada. Saiba também se ela está barata ou cara e quais os valores de compra e venda recomendados por uma análise gráfica exclusiva.

LEIA MAIS NA NEWSLETTER

Quer mais análises de investimentos? Na newsletter, você confere outros conteúdos exclusivos sobre oportunidades na Bolsa.

Assinante UOL tem acesso a todos os conteúdos exclusivos do site, newsletters, blogs e colunas, dicas de investimentos e mais. Para assinar o boletim A Companhia e conhecer nossas outras newsletters, clique aqui.