PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Coluna

Carla Araújo


Governo autoriza a abertura de 522 vagas temporárias para o Exército

Edson Leal Pujol, comandante do Exército, e Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa - Valter Campanato/Agência Brasil
Edson Leal Pujol, comandante do Exército, e Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

08/06/2020 08h52

Uma portaria publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (8) autoriza o Comando do Exército a contratar de forma temporária 522 profissionais para atuar no Departamento de Engenharia e Construção e no Departamento de Ciência e Tecnologia.

A portaria é assinada pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e pelo secretário especial de desburocratização, gestão e governo digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel.

Para preencher as vagas, o governo ainda vai lançar um edital para as inscrições e haverá necessidade de aprovação em um processo seletivo.

A portaria não traz os valores salariais, mas afirma que o Comando do Exército "definirá a remuneração dos profissionais a serem contratados em valor não superior ao da remuneração constante dos planos de retribuição ou nos quadros de cargos e salários do serviço público para servidores que desempenham função semelhante".

Segundo o texto, as despesas com as contratações sairão do caixa orçamentário do Ministério da Defesa.

Nas 522 vagas que serão abertas, há a previsão de 70 vagas para agente de serviço de engenharia; 60 para engenheiros; 30 para arquitetos; e 15 para analista ambiental, entre outras.

Carla Araújo