PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Guedes tenta evitar perda de R$ 9 bilhões em ação que tramita no STF

Ministro da Economia, Paulo Guedes - ADRIANO MACHADO
Ministro da Economia, Paulo Guedes Imagem: ADRIANO MACHADO
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

e Antonio Temóteo, de Brasília

11/02/2021 18h27

Na tentativa de sensibilizar o STF (Supremo Tribunal Federal) e evitar uma perda na arrecadação que pode chegar a R$ 9 bilhões em cinco anos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro da AGU (Advocacia Geral da União), José Levi, se reuniram nesta quinta-feira (11) com o presidente do STF, Luiz Fux, para apresentar argumentos contrários à exclusão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) da base de cálculo da contribuição previdenciária sobre a receita bruta das empresas.

Em busca de alternativas para desonerar a folha de pagamentos das empresas, Guedes é contra a exclusão do ICMS porque a medida afetaria a já fragilizada arrecadação previdenciária.

O STF decidirá o tema até o dia 23 de fevereiro. Caso decida pela exclusão, as estimativas apontam que o governo perderá R$ 1,5 bilhão em arrecadação no primeiro ano e R$ 9 bilhões em cinco anos.

A ação foi movida por empresários com a justificativa de que um imposto incide sobre o outro, o que penalizaria o setor produtivo.

Julgamento virtual

O julgamento da ação no plenário virtual do STF começa amanhã (12) e vai até o dia 23. No total, seis ministros já votaram o tema, que está empatado por 3 a 3.

O ministro Marco Aurélio, que é relator da ação, votou para não se incluir na base de cálculo da contribuição previdenciária o valor correspondente ao ICMS. Ele defendeu que a inclusão era incompatível com a Constituição Federal. Os ministros Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia acompanharam o relator.

Já a favor da cobrança votaram os ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Gilmar Mendes.

O ministro Dias Toffoli havia pedido vista para avaliar melhor a matéria, mas agora o tema foi liberado e os demais ministros irão finalmente concluir o julgamento neste mês.

PUBLICIDADE