PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Governo vê como pontual paralisação de transportadores de combustível em MG

Governo diz que ANP e Petrobras estão atentas para evitar desabastecimento - NurPhoto/NurPhoto via Getty Images
Governo diz que ANP e Petrobras estão atentas para evitar desabastecimento Imagem: NurPhoto/NurPhoto via Getty Images
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

25/02/2021 04h00

Nos últimos dias têm surgido alguns relatos de protestos de motoristas por conta do preço dos combustíveis. Até o momento, porém, as ações estão sendo consideradas pelo governo como algo pontual e sob controle.

O sindicato que representa os transportadores de combustível (Sindtanque) diz que realizará uma paralisação nesta quinta-feira (25) em Minas Gerais contra a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo Diesel no Estado.

À coluna, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou que a princípio trata-se de uma ação restrita a Minas Gerais.

"A ANP, a Petrobras e o governo do Estado estão tomando as providências para que não haja nenhum problema no abastecimento", disse.

Outros integrantes que acompanham a mobilização de caminhoneiros e de outras categorias por conta do aumento dos combustíveis informaram que não há no radar nenhuma grande paralisação.

Além disso, de acordo com esses interlocutores, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) está sempre de prontidão para atuar contra bloqueio de pistas ou outras manifestações.

Atos começam a pipocar

Apesar da tranquilidade do governo, ontem (24), houve um bloqueio parcial na BR 101, em Linhares, no norte do Espírito Santo, com motoristas protestando contra a alta do valor de combustíveis. De acordo com informações da Casa Civil da Presidência da República, a PRF esteve no local e resolveu a situação ainda pela manhã.

A avaliação do governo federal, no momento, é que as ações se concentram em pautas que estão ligadas a questões estaduais, como o ICMS, e não têm relação direta com a agenda federal.

O argumento reforça inclusive o discurso político do presidente Jair Bolsonaro que acusa os governadores de não cederem para ajudar a baratear o combustível.

Promessa sem recurso?

No último dia 18, Bolsonaro anunciou que a partir de março o governo vai zerar por dois meses os impostos federais sobre o Diesel.

"A partir de 1º de março não haverá qualquer imposto federal no Diesel. Nesses dois meses, vamos estudar uma maneira definitiva de zerar esse imposto até para ajudar a contrabalancear esse aumento excessivo da Petrobras", disse na semana passada, na véspera de anunciar a troca de comando da Petrobras.

Para cumprir a promessa, porém, a equipe de Paulo Guedes (Economia) precisa encontrar contrapartidas para não ferir a Lei de Responsabilidade fiscal.

A demora de uma solução por parte da equipe de Guedes - que ainda não faz milagres para fechar contas - tem irritado o presidente.

Bolsonaro já chegou até a sinalizar que para cumprir a sua promessa e manter o apoio dos caminhoneiros pode até suspender a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).