PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Onyx é exonerado do cargo de ministro para cuidar de emendas parlamentares

Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

e Hanrrikson de Andrade, do UOL, em Brasília

11/11/2021 15h39

O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, foi exonerado do cargo nesta quinta-feira (11) pelo presidente Jair Bolsonaro, "a pedido". O afastamento é temporário e foi publicado no Diário Oficial da União.

A licença temporária do ministro deve durar cerca de 10 dias e o objetivo é retomar o cargo de deputado federal e cuidar das emendas parlamentares que estão em discussão no Congresso. No período, o ministério ficará sob o comando do secretário-executivo Bruno Dalcolmo.

O foco de Onyx é poder fazer indicações para a destinação das chamadas emendas individuais, que todo parlamentar tem direito. O calendário prevê que o parlamentar tem até o dia 22 de novembro para enviar as propostas que devem receber os recursos.

O projeto de lei orçamentária para 2022, encaminhado pelo Poder Executivo, reserva R$ 10,5 bilhões para emendas individuais e R$ 5,7 bilhões para as emendas de bancada estadual, totalizando R$ 16,2 bilhões em emendas com execução obrigatória.

Depois de definir suas emendas, Onyx retornará ao cargo de ministro.

PUBLICIDADE