PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fundos imobiliários: 9 pontos que você precisa saber antes de investir

Getty Images
Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

08/07/2021 04h00

Os fundos de investimento imobiliários, mais conhecidos como FIIs, são um dos investimentos que mais têm atraído a atenção de quem está começando na bolsa de valores. Eles são fáceis de entender, trazem diversificação e uma renda mensal para o investidor. Para quem não conhece, esse investimento nada mais é do que um fundo que investe nos melhores imóveis do país, como shoppings, escritórios comerciais, galpões logísticos, etc.

Quem cuida de toda administração desse fundo é um gestor profissional. Assim, o investidor não tem nenhum tipo de dor de cabeça e ainda recebe ganhos recorrentes. Separei alguns pontos importantes para você sobre os FIIs para não errar na hora de escolher o seu.

Próximo passo nos investimentos

Para quem deseja começar a investir na renda variável, os fundos imobiliários são uma ótima porta de entrada para isso. Eles costumam ter um rendimento maior do que a renda fixa, têm uma oscilação menor, são mais fáceis de entender do que as ações e você pode comprar bons fundos por aproximadamente R$ 100.

Pagam renda mensal

Pensando em imóvel, o intuito para ganhar com eles é pelo aluguel. Os melhores imóveis merecem os melhores inquilinos e assim, mensalmente, você recebe sua parte do aluguel daqueles imóveis. O rendimento cai direto na sua conta na corretora de valores sem você fazer ou pedir nada. Por ser uma gestão profissional, a inadimplência dos fundos costuma ser muito baixa.

Você ganha duas vezes

Além do rendimento mensal, você ainda ganha com o crescimento da cotação do fundo. Digamos que você comprou uma cota do seu fundo por R$ 15 e quando vendeu estava valendo R$ 65, então ganhou, teoricamente, R$ 50 com esse aumento. Os FIIs costumam ter essa valorização no longo prazo, assim como as ações. Esse crescimento, inclusive, nos leva para o próximo ponto.

Os FIIs são reajustados pela inflação

Os contratos imobiliários têm data para serem revistos e você pode consultá-las no relatório gerencial que é distribuído mensalmente pela gestora do fundo. São corrigidos pelo IPCA ou IGP-M para compensar as defasagens e não deixar a inflação passar impune. Isso acaba sendo muito bom para o investidor, pois assim terá a certeza de que o seu dinheiro manterá o poder de compra com o passar do tempo.

Taxa Selic e FIIS

Normalmente, quando a taxa de juros aumenta, os FIIs costumam estar em baixa e o contrário também é verdadeiro. Renda fixa e renda variável costumam ficar em polos diferentes mesmo. Por isso ter esses fundos na sua carteira é ótimo para garantir a diversificação e fazer com que você ganhe em qualquer situação.

FIIs de FIIs

Existem os fundos que investem em outros fundos: são os FoFs (funds of funds ou fundos de fundos). Ao invés de comprarem imóveis, esse tipo de investimento compra outros fundos imobiliários e dessa forma acabam tendo um portfólio bem maior.

Fundos de papel

Esse tipo de FII funciona como se fosse um fundo de renda fixa voltado para ativos atrelados a imóveis, como LCI e CRI. A vantagem de comprar esses ativos pelo fundo e não investir diretamente na sua corretora é que muitos investimentos são extremamente caros para o pequeno investidor e não são ofertados em corretoras convencionais.

Foge do Leão

Por enquanto os rendimentos dos fundos são isentos, porém pode ser que isso mude em breve. A reforma tributária apresentada pelo governo propõe cobrar imposto dos rendimentos, mas isso não está definido ainda (leia aqui).

Em imóveis convencionais, esses que você adquire e coloca para alugar, é obrigado a fazer o recolhimento e pagamento do Imposto de Renda de todos os ganhos recebidos. Já nos FIIs, os ganhos entram líquidos no seu bolso, sem nenhum tipo de desconto, e também costumam ter um rendimento maior quando comparamos os dois tipos.

Tem Imposto de Renda

Apesar de ainda não pagarmos imposto sobre os rendimentos mensais que recebemos dos FIIs, isso não se aplica quando você vende suas cotas de fundo imobiliário. Neste caso você deve pagar 20% do lucro que teve com as suas cotas e independe do valor total negociado.

Esse imposto não é descontado automaticamente do seu lucro, assim como acontece nos investimentos de renda fixa. É necessário gerar uma DARF e pagar esse imposto no seu banco.

Sabendo desses fatos você já sabe o básico para começar a estudar os fundos imobiliários e dar o primeiro passo dentro da Bolsa de Valores.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL