PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Tesouro Prefixado: o que você precisa saber sobre esse investimento

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

08/11/2021 04h00

Geralmente, quando o investidor iniciante começa a escolher seus ativos, porém não tem muita experiência nem conhecimento do mercado, escolhe por um item: rentabilidade. É normal e até esperado isso, afinal, quem não se impressiona com uma taxa maior, não é mesmo? Porém, será que essa é mesmo a melhor forma para escolher seu investimento?

Um investimento que salta aos olhos é o Tesouro Prefixado, pois as taxas dele costumam ser maiores do que os outros ativos de renda fixa. Para você não fazer besteira e saber escolher bem seus investimentos, hoje vai saber mais sobre esse investimento.

Para que serve?

A ideia quando você investe no Tesouro Prefixado é garantir um rendimento interessante dentro de um período de médio prazo, ou seja, de 5 a 10 anos. É importante escolher esse investimento quando acreditar que o rendimento dele será maior do que o da Taxa Selic e que a inflação no período será menor.

Isso porque o Tesouro Prefixado é o único título do Tesouro Direto em que você sabe quanto vai ganhar desde o momento que compra o investimento até seu vencimento. Ele sempre rende uma taxa fixa que não sofre alterações com o passar do tempo. Atualmente, as taxas estão entre 12% e 12,29% ao ano.

Quais os riscos?

Você só tem garantia de lucro no vencimento do título. Se precisar fazer o resgate do seu dinheiro antes, pode acabar tendo prejuízo. Isso porque o Tesouro Prefixado sofre com a marcação a mercado, que nada mais é do que uma atualização diária nos preços, e pode acabar com menos do que tinha quando começou.

Além disso, se a Taxa Selic e a inflação (IPCA) estiverem maiores do que as taxas do Prefixado, você também acabará perdendo, pois ficará atrás desses dois outros investimentos.

Tem FGC?

Não! O Fundo Garantidor de Créditos é uma associação sem fins lucrativos e funciona como um mecanismo de proteção para correntistas e investidores. Ele ressarce o valor de até R$ 250.000 para contas correntes, poupança e alguns investimentos de renda fixa. Porém, o Tesouro Direto não é um desses investimentos.

Ele não conta com essa proteção, porém, por ser emitida pelo governo federal, a segurança e consequentemente o risco desses investimentos é considerada soberana.

Paga imposto?

Sim! O imposto de renda é descontado somente do lucro que você teve com seus investimentos quando vendê-los. Esse valor é calculado e descontado automaticamente do valor. Você não precisa pagar nenhum valor, não precisa pagar nada a mais além desse valor descontado.

Em resumo, o Tesouro Prefixado é um investimento bom para quem quer diversificar a carteira e acredita que pode ganhar acima da inflação e da Taxa Selic. Como é um título mais especulativo, não recomendo que tenha um percentual muito grande de Tesouro Prefixado, então mantenha algo em torno de 2 a 5%, pois assim você conseguirá ter uma diversificação e também segurança com seus investimentos.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL