PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Econoweek

Poupança rende mais que fundos de investimentos de renda fixa

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

07/07/2020 04h00

Se você gosta e acompanha o mundo dos investimentos, já deve estar sabendo que a taxa básica de juros, a Selic, vem caindo há um tempo, e agora está em 2,25% ao ano, a menor taxa da história.

Tal taxa é extremamente importante no mundo de investimentos porque baliza tanto os investimentos de renda fixa quanto à poupança. E essas duas aplicações entraram em embate com essa queda de juros: afinal, o que está valendo mais à pena?

Eu sou Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, a tradução da economia e, neste artigo, bem como no vídeo acima, vou traduzir qual investimento é mais vantajoso.

A Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) fez uma simulação considerando vários cenários, mas antes de falarmos dela, vamos entender como é o rendimento de cada aplicação.

Rendimento da poupança antiga

Ainda hoje em dia, há duas maneiras de se calcular o retorno da caderneta da poupança. Para depósitos feitos antes de 4 de maio de 2012, o rendimento é de 0,5% ao mês mais Taxa Referencial (ou TR), que devido à queda dos juros, têm ficado em zero ou próximo disso. Isso significa um rendimento de 6,17% ao ano. Essa é a chamada poupança antiga.

Rendimento da nova poupança

Já depósitos feitos após 4 de maio de 2012 entram na regra da poupança nova: rendem 70% da taxa básica de juros Selic. Para quem quer entender melhor sobre a Selic, vale a pena checar nossa explicação detalhada sobre a última queda de juros.

Em resumo, a taxa Selic é um juro definido periodicamente pelo Banco Central e serve de base para várias outras taxas, inclusive para os rendimentos de renda fixa. 70% desta taxa significa um rendimento de pouco menos da taxa cheia, atualmente em 2,25% ao ano.

Dessa maneira, a poupança nova tem rendido 0,13% ao mês ou 1,58% ao ano.

Rendimento dos fundos de renda fixa

Já os fundos de renda fixa são aplicações que têm em sua carteira diversos títulos de renda fixa. Podem entrar títulos públicos, CDBs, debêntures, entre outros. A maior parte da carteira, em geral, é composta por títulos públicos.

O rendimento é impactado diretamente pela taxa de administração que o fundo cobra (atualmente entre 0,5% e 3%, segundo a Anefac) e pelo tempo de investimento, pois quanto maior o tempo de resgate menor é o imposto pago.

Para saques antes de seis meses, o Imposto de Renda é o maior (de 22,5% sobre o rendimento) e ele decai até atingir a menor taxa após passar dois anos (15% sobre o rendimento).

O que rende mais: fundos de renda fixa ou poupança?

Neste cenário de juros baixos, a caderneta de poupança ganha dos fundos em todas as situações. Ela só empata quando o fundo cobra a menor taxa de administração (0,5% ao ano) e o resgate ocorre após dois anos (ou seja, com o menor Imposto de Renda, de 15%). Nesta situação, o rendimento de ambos é de 0,13% ao mês.

Abaixo, reunimos todas as simulações da Anefac com os rendimentos médios mensais dos fundos de investimentos em renda fixa de acordo com a taxa de administração e momento do saque, mas fica bem mais fácil de ver isso no nosso vídeo acima.

Rendimento de fundos de renda fixa para prazos de resgate de até seis meses

Taxa de administração de 0,5% ao ano: rendimento de 0,10% ao mês;

Taxa de administração de 1,0%: rendimento de 0,08%;

Taxa de administração de 1,5%: rendimento de 0,06%;

Taxa de administração de 2,0%: rendimento de 0,05%;

Taxa de administração de 2,5%: rendimento de 0,03%;

Taxa de administração de 3,0%: rendimento de 0,02%.

Para prazos de resgate entre seis meses e um ano

Taxa de administração de 0,5% ao ano: rendimento de 0,11% ao mês;

Taxa de administração de 1,0%: rendimento de 0,09%;

Taxa de administração de 1,5%: rendimento de 0,07%;

Taxa de administração de 2,0%: rendimento de 0,06%;

Taxa de administração de 2,5%: rendimento de 0,04%;

Taxa de administração de 3,0%: rendimento de 0,03%.

Para prazos de resgate entre um ano e dois anos

Taxa de administração de 0,5% ao ano: rendimento de 0,12% ao mês;

Taxa de administração de 1,0%: rendimento de 0,10%;

Taxa de administração de 1,5%: rendimento de 0,08%;

Taxa de administração de 2,0%: rendimento de 0,07%;

Taxa de administração de 2,5%: rendimento de 0,05%;

Taxa de administração de 3,0%: rendimento de 0,04%.

Para prazos de resgate acima de dois anos

Taxa de administração de 0,5% ao ano: rendimento de 0,13% ao mês;

Taxa de administração de 1,0%: rendimento de 0,11%;

Taxa de administração de 1,5%: rendimento de 0,09%;

Taxa de administração de 2,0%: rendimento de 0,08%;

Taxa de administração de 2,5%: rendimento de 0,06%;

Taxa de administração de 3,0%: rendimento de 0,05%.

Você sabia disso? Conte nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.