PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Tendência atual mostra corretoras zerando taxas dos clientes que investem

César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

20/08/2020 18h20

Você sabe quais são as corretoras que não cobram nenhuma taxa de corretagem dos investidores?

Eu sou César Esperandio, economista do Econoweek, a tradução da economia. Nesse artigo, bem como no vídeo acima, vou traduzir quais são as corretoras "taxa zero" e mostrar quais são as tendências do mercado de investimentos, que está diminuindo os custos dos clientes e oferecendo até benefícios como cashback para quem investe.

Em agosto, possivelmente, o número de investidores pessoas físicas cadastrados na Bolsa de Valores poderá bater o recorde de 3 milhões de CPFs ativos. Até julho, quando foi divulgado o último dado, havia mais de 2,8 milhões de CPFs cadastrados, um crescimento de mais de 1 milhão apenas em 2020.

Há duas principais explicações para esse crescimento: uma delas é a queda da taxa básica de juros da economia, a Selic. Esse movimento tende a diminuir a rentabilidade de investimentos em renda fixa.

Embora ainda haja boas rentabilidades para títulos com vencimentos mais longos (que só permitem o saque em data mais distante) e de instituições menores (que embutem maior risco), de modo geral, as taxas de retornos diminuíram na renda fixa e aumentou a adesão à renda variável, com investidores em busca de melhores retornos.

A segunda explicação é o crescimento do uso da tecnologia no mercado financeiro. As inovações permitiram a popularização dos investimentos e o crescimento das corretoras, que oferecem cada vez melhores serviços.

Nessa linha, se valendo de ganhos de produtividade com o uso da tecnologia e em tentativa de enfrentar a concorrência, as corretoras estão reduzindo algumas taxas cobradas dos clientes e oferecendo cada vez mais benefícios.

Há um movimento de redução da corretagem, taxa cobrada ao comprar ou vender uma ação, entre todas as principais corretoras. Algumas chegaram a zerar essa cobrança.

A taxa zero existe há bastante tempo, mas principalmente para a manutenção da conta e outros serviços. O movimento de cobrança zero da taxa de corretagem é um movimento recente.

Uma das primeiras a extinguir esse custo do investidor foi a corretora Clear. Por lá, não há taxas para comprar e vender ações e outros ativos.

Apesar de não ser apenas uma corretora, o Banco Inter tem uma plataforma de investimentos e não cobra taxa de corretagens de seus clientes.

Para engrossar esse time, a corretora Toro também zerou a cobrança das corretagens e passou a oferecer cashback em fundos de investimentos. Nesse tipo de investimentos, uma parte da taxa de administração cobrada pelo fundo é revertida em receita para a corretora através da taxa de rebate, que passa a dividir essa receita com o cliente.

Essa modalidade de cashback também está ganhando corpo entre instituições financeiras de investimentos e parece ser uma tendência crescente.

Apesar de eu ter citado apenas as corretoras que zeraram as taxas de corretagens, a grande maioria das principais corretoras tem reduzido essas cobranças.

Vale lembrar que o preço não deve ser o único fator de escolha de uma plataforma de investimentos. Como a abertura e manutenção de contas são processos gratuitos na maioria das corretoras, vale a pena abrir conta em mais de uma e testar a usabilidade da plataforma, bem como o atendimento da equipe, quando for necessário.

Ponto para os investidores, que passam a contar com cada vez melhores serviços e menores custos ao investir.

Gostou das dicas? Conte nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.