PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Econoweek

Sua mente está preparada para investir em ações?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

26/08/2020 18h20

O que o investidor precisa ter para entrar no mercado de ações? Além da parte técnica que envolve a definição de uma estratégia e conhecimento de indicadores do mercado, sejam eles fundamentalistas ou grafistas, é preciso estar com a mente preparada. No mundo de coachs e redes sociais, se popularizou o termo mindset.

Na coluna de hoje, bem como no vídeo acima, eu, Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, a tradução da economia, converso com Giácomo Diniz, economista formado pela FEA-USP e professor de finanças por vocação, como se define, para entender quais são os pensamentos e armadilhas da mente ao entrar em um investimento que envolve risco.

O próprio nome do investimento já é auto explicativo: renda variável. Isso significa que os ganhos mudam, no caso de ações, a cada segundo. Apesar disso, muitas pessoas têm entrado na Bolsa de Valores com a promessa e expectativa de ganhos fáceis e elevados. Algumas frases colhidas do Twitter e sem identificação que mostram a pressão por ganhos:

"A hora certa de entrar na Bolsa de Valores é: o quanto antes! Conte com as melhores análises e recomendações de ações e investir com estratégia..."

"A maior queda recente da Bolsa em março, gerou diversas oportunidades de investimento. A título de exemplo..." (indicação de uma ação).

Assuma suas decisões

Ao investir em ações, diariamente a pessoa irá se deparar com anúncios e dicas como essas do Twitter, mas precisa ter em mente que os palpites são compartilhados, mas os prejuízos individuais. Só você vai assumir o ônus ou o bônus do investimento. Esteja preparado para não responsabilizar ninguém.

Ninguém sabe o futuro

Se você tivesse a chance de voltar no tempo, há 10 anos, e investir nas ações da Magazine Luiza ou da OLX, o que faria com o seu dinheiro? Fica fácil olhar a história já contada, mas tenha em mente que por mais que tudo pareça fazer sentido ninguém sabe o futuro. Se um "especialista" te garantir por A + B qual é a estratégia vencedora, desconfie.

Aprenda a controlar a ansiedade

Eu tinha uma reunião com um ex-chefe na qual, dia sim, dia não, para quebrar o clima ele começava a falar sobre mercado acionário, em quais ações ele investia e se dava bem, quais (ainda) não haviam subido, entre outras "dicas". Note que todas as histórias eram de sucesso.

Como já dito, ao investir em ações você começará a ouvir mais sobre o mercado e terá de aprender a controlar a ansiedade que pode aparecer em alguns momentos. No primeiro, quando ouve estas dicas e fica com a impressão que está na estratégia errada, que tem de mudar a carteira. No segundo, quando o preço cai e você se vê tentado a sair, mesmo ainda sendo um prejuízo aceitável dentro do seu plano e você tendo em vista o longo prazo.

Tenha expectativas realistas

Pelo fato de o mercado acionário estar tão falado em redes sociais, imprensa, cursos e influenciadores, é passada a impressão de que se pode ter altos ganhos facilmente. Traders experientes já quebraram algumas vezes antes de aprender a lidar com o sobe e desce da Bolsa de Valores.

O que quero dizer: é possível ter ganhos de 10% ao mês? Sim, mas bem difícil. Uma rentabilidade mais realista, dizem traders, é mirar em algo entre 2% ou 3% da carteira.

Não há um único investimento ganhador

Não haverá uma única ação vencedora que te deixará milionário. Esteja preparado para perder em alguns papeis e ganhar em outros. Diversifique e, na média, tente fazer com que os acertos sejam maiores do que as dores dos erros.

Você acha que a sua mente está preparada para tudo isso? Conte nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

PUBLICIDADE