PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Golpes em compras online: 9 dicas de segurança

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

27/08/2020 18h20

Se as vendas e compras online já eram uma tendência, na quarentena o movimento só se acentuou. Uma pesquisa da BigData Corp a pedido da PayPal Brasil revelou que o número de lojas virtuais cresceu 40,7% entre 2019 e 2020.

Já são 1,3 milhões de lojas virtuais no Brasil. Se por um lado isso é bom para o consumidor pela maior diversidade e facilidade de encontrar tudo na internet, por outro, a atenção para golpes e fraudes deve ser redobrada.

Na coluna de hoje, eu, Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, falo de 9 dicas para comprar online de maneira segura.

1. Prefira a sites conhecidos

A primeira sugestão pode parecer óbvia, mas a chance de não receber o produto ou de haver vazamento de dados em sites de grandes varejistas é menor. Ainda assim, eu sei que, às vezes, a oferta pode estar melhor em outro lugar. Mesmo porque quase 89% dos sites de vendas são pequenos (recebem até 10 mil visitas por mês), segundo a mesmo pesquisa.

2. Verifique selos de segurança e o https

O cadeado e o "s" na barra de endereços garante que o site, seja um varejo pequeno ou grande, é seguro e criptografado (codificado), o que diminui a chance de vazamento de informações.

3. Cheque o CNPJ

No próprio site da Receita Federal, é possível colocar o CNPJ e ver se a empresa existe de verdade.

4. Se atente às ofertas por e-mail

É muito fácil golpistas chegarem a listas de e-mails que incluam o seu. Ao abrir um e-mail de um varejista, seja ele uma loja conhecida ou não, preste atenção ao endereço de envio (geralmente não é o endereço da marca varejista).

Também observe se há erros de português e o link para onde ele te encaminha. Sempre cheque se é o endereço correto da loja.

5. Use senhas complexas e únicas

É cansativo ter de pensar em novas senhas, mas é a maneira mais segura de se cadastrar. Se usar a mesma senha em diversos sites fica mais fácil ela vazar e chegar a golpistas. Isso significa, por exemplo, fugir de senhas que sejam o seu nome, a data de nascimento ou mesmo sequências numéricas. Em 2019, segundo pesquisa da SplashData com 5 milhões de cadastros, as senhas mais comuns eram: 123456 e 123456789.

6. Faça pedidos de uma conexão segura

Usar redes púbicas e compartilhadas podem fazer com que golpistas consigam seus dados pessoais. Faça compras com paciência, em casa.

7. Cheque as redes sociais

Além do Reclame Aqui, adquiri o hábito de olhar o Instagram da empresa. Ali, é possível ver os comentários das pessoas, se os perfis parecem ser verdadeiros e se a empresa responde e interage.

Também sugiro colocar o nome da empresa no Youtube, pois cada vez mais pessoas têm tornado as reclamações públicas por ali.

8. Pague com cartão de crédito ou meios digitais

Diferentemente do boleto que você não consegue cancelar, no cartão de crédito é possível pedir estorno. O mesmo vale para alternativas digitais, como o PayPal.

9. Desconfie de ofertas milagrosas

Por fim, e não menos importante, desconfie se o preço estiver muito abaixo do praticado pelo mercado. Quando a esmola é demais, desconfie, sempre.

Você já caiu em algum golpe comprando online? Conte nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.