PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Por que a Bolsa subiu no dia do pior PIB da história?

César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

02/09/2020 18h20

Muita gente tem me feito a mesma pergunta: por que a Bolsa subiu tanto no mesmo dia que foi divulgado o pior PIB da história do Brasil?

Essa é uma excelente pergunta e traz consigo uma ótima reflexão de investimentos de curto e longo prazos.

Eu sou César Esperandio, economista do Econoweek, a tradução da economia. Nesse artigo, bem como no vídeo acima, vou traduzir por que isso aconteceu e o que dá para aprender disso para os próximos investimentos.

Vamos aos fatos.

PIB cai, Bolsa sobe

Ontem, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, teve forte alta de 2,82%, a 102.168 pontos. Foi a maior alta diária em quase três meses, desde 8 de junho (3,18%). No mesmo dia, conhecemos o resultado do PIB brasileiro referente ao 2º trimestre de 2020. A queda foi de 9,7% frente ao trimestre anterior (enquanto o mercado esperava contração de 9,2%), com revisão do PIB do 1º trimestre de -1,5% para -2,5%.

Sob praticamente todas as óticas, de quase todas as aberturas de composição desse indicador, o resultado foi um desastre. De modo que quase todos os economistas estão revisando para baixo suas projeções para a queda do PIB brasileiro de 2020 fechado.

Resumidamente, o PIB é a soma de todos os bens e riquezas produzidas no país em um determinado período. Nesse caso, o resultado do primeiro semestre foi ruim principalmente devido à pandemia.

Mas, como é possível que a Bolsa de Valores apresente tão forte alta em um dia em que descobrimos que o PIB da primeira metade do ano foi ainda pior do que imaginávamos?

Há duas razões principais.

1. Compensação do dia anterior

No dia anterior, o Ibovespa havia apresentado forte queda de 2,72%, a 99.369 pontos.

Independentemente das motivações dessa queda, é comum que o dia seguinte, caso os investidores percebam que exageraram no pessimismo, corrijam as expectativas. E, assim, há uma tendência de alta das ações da Bolsa.

2. Notícias impactam nas ações

No curto prazo, qualquer notícia tem potencial de impactar o preço dos ativos negociados na Bolsa. Para o bem e para o mal.

Dessa maneira, houve uma notícia muito bem recebida pelos investidores que os deixaram de bom humor e acabaram também ajudando na alta da Bolsa de ontem: a Câmara dos Deputados Federais aprovou a nova Lei do Gás, que visa aumentar a concorrência no mercado de gás natural e diminuir o custo do combustível. A proposta segue para o Senado.

Com essa notícia, há estimativas de que o preço do gás natural tem potencial para se reduzir em até 40%, favorecendo os negócios.

Repare que ainda não é uma realidade, mas o preço das ações subiu na esteira dessa notícia.

É sempre assim?

As duas razões que acabei de explicar são apenas fortes motivos da alta da Bolsa de ontem. A verdade é que é impossível estar dentro da cabeça de cada investidor para de fato saber quais foram os motivos que os deixaram mais otimistas e mais dispostos a pagar mais caro pelas mesmas ações que estavam mais baratas no dia anterior.

No curto prazo, qualquer notícia tem potencial de impactar no preço dos investimentos, como já disse. Principalmente notícias vindas do mundo da política ou outras manchetes explosivas, como alguns desastres, escândalos corporativos ou mesmo resultados surpreendentes vindos de alguma companhia com ações na Bolsa.

Já no longo prazo, esse sobe e desce são apenas ruídos. O que importa são os fundamentos dos seus investimentos.

Caso você seja um investidor com perfil parecido com o meu, sempre aconselho a mirar em estratégias de investimentos de longo prazo. Assim, sem a obrigação de ter resultados positivos de um dia para o outro, não terá mais a preocupação de ter que lidar com todas as incontáveis notícias que fogem ao nosso controle, que impactam no preço dos ativos no dia a dia.

Ao objetivar o crescimento do seu patrimônio no médio e longo prazos, depois de escolher bons investimentos, poderá dormir mais tranquilo, sem o estresse do noticiário de alta frequência, podendo se dedicar a outra profissão que seja sua principal fonte de renda, sabendo que, por mais que os preços oscilem de um dia para o outro, a tendência é de crescimento ao longo do tempo.

O pior PIB da história e um dos melhores resultados da Bolsa podem, sim, acontecer no mesmo dia e voltar a se repetir futuramente. Ter que contar com tanta incerteza para ver seus investimentos se valorizarem ou corroerem é uma opção.

Já tinha pensado nisso? O que você acha? Conte nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.