PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Econoweek

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Juntar R$ 1 milhão com R$ 100 por mês? Conheça a mágica dos juros compostos

César Esperandio

César Esperandio

César Esperandio é economista com ênfase em planejamento financeiro, com larga experiência no mercado financeiro. Já atuou em setores macroeconômicos de bancos e consultorias, além de ter passado por empresa de pesquisas de mercado. Hoje se dedica exclusivamente ao Econoweek, com foco em investimentos.

02/07/2021 04h00

Você sabe qual é a diferença de um investimento com juros simples e outro com juros compostos?

No vídeo abaixo, mostro essa diferença na prática, com explicação na lousa e gráficos de simulações de investimentos. Vale a pena conferir.

Juros simples x juros compostos

Enquanto nos juros simples a rentabilidade (ou incidência de juros) ocorre apenas sobre o investimento inicial, na modalidade de juros compostos, a rentabilidade se dá sempre sobre o investimento inicial mais os rendimentos acumulados até o período anterior.

É o chamado "juros sobre juros"!

Suponha um investimento de R$ 1.000 com rentabilidade de 10% ao ano e nenhum aporte adicional ao longo do tempo. Se houver incidência de juros simples, ao final de quatro anos, seus R$ 1.000 terão virado R$ 1.400. Nos juros compostos serão R$ 1.464.

A diferença parece pequena? Mas ela só aumenta ao longo do tempo e é aí que está a mágica dos juros compostos.

Ao final de 40 anos, esses mesmos R$ 1.000 terão virado R$ 5.000 com os juros simples, mas se transformarão em incríveis R$ 45.256,26 com os juros compostos!

Incrível, não é?

Investimentos que pagam juros compostos

Todos os investimentos de renda fixa rendem juros compostos, a começar pela Poupança (que tem uma rentabilidade tão ruim que faz ela não valer a pena), até os títulos do Tesouro Direto, as contas remuneradas de bancos digitais, CDBs, LCIs, LCAs etc.

Na renda variável, a lógica dos juros não é aplicável, pois nessa modalidade você se torna sócio de uma empresa (no caso dos investimentos em ações) e os retornos são incertos.

Investimentos que pagam juros simples

Não existe praticamente nenhum investimento em que haja incidência de rentabilidade sob o regime de juros simples.

Normalmente, quando há promessas de retornos com juros simples, os "investimentos" são fakes, tipicamente associados a fraudes e pirâmides financeiras.

Fique atento!

Como chegar a R$ 1 milhão com juros compostos?

Como mostrei, todo investimento sério rende juros compostos, mas nem todos valem a pena!

Por isso, no vídeo acima, mostro uma simulação de um investimento de R$ 100 por mês sendo aplicado na Poupança e em um CDB de rentabilidade de 1% ao mês (hoje, é possível encontrar rentabilidades até maiores que essa, protegidas pelo FGC).

A diferença não parece tão grande no começo, mas após 40 anos você terá aportado R$ 48 mil. Na Poupança, considerando a rentabilidade atual, seus investimentos terão se transformado em pouco menos de R$ 124 mil.

Parece bom? No CDB, isso viraria impressionantes R$ 1.188.342!

Exatamente! Mais de R$ 1 milhão!

Se não acredita, eu provo no vídeo do topo deste artigo. Confira!

Seu perfil é mais de especulador ou de investidor? No vídeo abaixo, ajudamos você a entender as duas estratégias para ganhar dinheiro na Bolsa.

Faça parte da comunidade Econoweek nas nossas redes sociais (Instagram ou YouTube) para acompanhar mais discussões como essa.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL