PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

CDB de 200% do CDI? Veja três pegadinhas que ninguém conta para você

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

17/09/2021 04h00

Se você quer sair da caderneta de poupança, mas manter o pé na renda fixa deve ter chegado a um investimento cuja oferta está cada vez maior do mercado: o Certificado de Depósito Bancário, ou simplesmente CDB.

De fato, tem muita oportunidade boa que oferece retorno acima de 100% do CDI, mas algumas delas têm pegadinhas. São três armadilhas que separamos abaixo.

Boa rentabilidade só no primeiro mês

Há algumas semanas, postamos um conteúdo no Instagram do Econoweek falando sobre contas digitais remuneradas. O dinheiro depositado nelas geralmente é investido em títulos públicos do Tesouro Direto ou em CDBs.

Um amigo me chamou a atenção que em uma delas a rentabilidade que chegava a 200% do CDI, na verdade, só valia por 30 dias. Estava escrito em letras miúdas e, por isso mesmo, nem todos percebem.

Investir por 30 dias não muda radicalmente a vida de ninguém. É uma boa rentabilidade, mas já parou para pensar que se for sacar em 30 dias vai pagar a maior taxa de Imposto de Renda (22,5% da rentabilidade)? Pode até pagar IOF se for antes disso, pois o imposto só cai a zero depois de 30 dias.

Nas ofertas nas quais há boa rentabilidade nos 30 primeiros dias você não precisa sacar nessa data, mas o fato é que depois disso a taxa diminui e nem todo mundo percebe o detalhe.

Retorno elevado só até certa quantia

Outro tipo de pegadinha bem comum no mercado foi observado pelo meu namorado, que está na fase de formar a reserva de emergência. Ele me perguntou porque só parte do dinheiro dele rendia muito.

De cara, não entendi, mas ao analisar a conta digital na qual ele estava aplicando percebi a regra. O banco aplicava em um CDB e garantia alto retorno para os primeiros R$ 5 mil. Depois desse valor, a taxa diminuía.

Boa rentabilidade somente para novos clientes

Recentemente, fiz a portabilidade dos meus investimentos, o que significa que migrei meus investimentos antes divididos em três corretoras para uma só.

Para o meu espanto, quando entrei no site de uma delas para pedir a portabilidade vi uma oferta de CDB a 200% do CDI.

A pegadinha estava no fato de que a boa rentabilidade era oferecida apenas para novos clientes, o que faz bastante sentido na estratégia da corretora. Elas atraem pessoas novas oferecendo bons retornos e depois tentam conquistá-los com outros produtos.

Anos atrás, durante o boom do Tesouro Direto, a estratégia foi zerar a taxa de custódia. Depois, algumas passaram a diminuir ou até isentar a taxa de corretagem na compra de ações. Agora, CDBs também são o chamariz.

Isso não significa que CDBs sejam sempre uma cilada. Pelo contrário, com a taxa Selic subindo o retorno tem sido cada vez maior. Mas antes de investir fique atento às regras para saber de fato quanto seu dinheiro irá render.

Você tem CDBs na carteira? Comente abaixo ou nas nossas redes sociais (Instagram ou YouTube).

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL