PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

João Branco

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Aviso aos inovadores: prestem atenção aos brócolis

Conteúdo exclusivo para assinantes
João Branco

João Branco tem mais 20 anos de experiência em grandes marcas e trabalha desde 2014 no McDonald's, onde é o Diretor de Marketing e lidera o talentoso time que está batendo todos os recordes de vendas da história do Big Mac. João estudou em algumas das melhores universidades do mundo mas aprendeu no "Méqui" o que nenhuma aula teórica foi capaz de ensinar: que o resultado sempre vem quando o consumidor ama muito tudo isso.

Colunista do UOL

22/09/2021 04h00

Você gosta de brócolis? Um estudo comprovou que 70% das crianças nasce odiando o sabor desse vegetal. Pode reparar: até no mundo animal os brócolis estão no fim da lista dos pratos preferidos. Seu gosto amargo afugenta paladares inexperientes. E escolho mencionar a "inexperiência" de propósito. Porque a principal razão para existir muitas pessoas que comem essas mini-arvorezinhas verdes hoje em dia está na insistência de seus pais.

Estudos mostram que, em geral, depois de quinze (isso mesmo, quinze) sessões de consumo de brócolis misturados a alimentos mais apetitosos nós começamos a "suportar" a presença desse item no menu. Depois nos acostumamos com ele. E até começamos a achar que é gostoso. Se isso não acontecesse, a ciência diz que os brócolis seriam mais odiados do que o coentro.

Esse caso nos ensina algo valioso: o poder da insistência. Quando comemos, ouvimos, vemos algo por consecutivas vezes, nossas percepções mudam. A repetição gera memorabilidade, que gera familiaridade, que gera popularidade, que gera cada vez mais popularidade.

Pense como foi o processo até você gostar de comer peixe cru. Ou como foi começar a gostar de ouvir funk. Ou ainda como foi que você se acostumou com uma nova moda no seu guarda-roupa. Tudo seguiu o mesmo processo dos brócolis.

A princípio você achou bizarra a ideia de usar uma calça com aquele corte esquisito que apareceu no desfile de moda. Depois começou a ver essa peça nas vitrines das lojas. Aí percebeu que alguns artistas a usavam em propagandas. Até que notou que algumas pessoas ao seu redor - inclusive aquela sua amiga próxima - estavam combinando essa peça com outras que você também tinha em seu armário. E não é que elas estavam muito bem vestidas? Finalmente, quando abriu sua rede social, viu essa iguaria por um "preço imperdível" e... click!

Talvez tenha sido necessário que você visse essa calça pelas mesmas 15 vezes por aí antes de se acostumar com ela. Alguns poucos se apaixonam à primeira vista. Outros precisam de ainda mais insistência. Mas toda novidade exige essas repetidas aparições ate que a gente se familiarize com ela. Isso vale para novos produtos, novos serviços, novos estilos e até novas ideias.

Você trabalha com inovação? Está tentando vender uma solução diferente para um problema? Quer criar uma nova "moda"? Ou convencer seus clientes a mudarem de hábitos? Não se esqueça: você precisa ter paciência e ser insistente. Precisa repetir várias vezes a mesma mensagem e ir chegando mais perto do seu cliente até que ele se acostume com essa ideia. Obviamente persistir eternamente em um produto que não vende nada não é a estratégia correta. Mas não desista cedo demais. Principalmente se você está buscando uma mudança grande na percepção das pessoas.

A cada garfada que damos na salada, somos abastecidos de vitaminas, minerais e uma aula de Marketing: quanto mais pessoas acharem que brócolis são gostosos, mais gostosos serão os brócolis.

brocolis - Felipe Tomazelli - Felipe Tomazelli
brocolis
Imagem: Felipe Tomazelli

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL