PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

João Branco

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O que fazer para ter boas ideias

Conteúdo exclusivo para assinantes
João Branco

João Branco tem mais 20 anos de experiência em grandes marcas e trabalha desde 2014 no McDonald's, onde é o Diretor de Marketing e lidera o talentoso time que está batendo todos os recordes de vendas da história do Big Mac. João estudou em algumas das melhores universidades do mundo mas aprendeu no "Méqui" o que nenhuma aula teórica foi capaz de ensinar: que o resultado sempre vem quando o consumidor ama muito tudo isso.

Colunista do UOL

29/09/2021 04h00

Tudo indica que os estádios de futebol vão reabrir para torcedores vacinados em breve. Será que a gente lembra como era ir assistir a um jogo? Tanta coisa mudou desde a última vez, que eu não duvido que a torcida organizada queira fazer uma dancinha do TikTok na arquibancada. Ou que alguém tente pedir um McDonald's pelo iFood no meio da partida. Nossa vida mudou mais do que parece. Faz só "meia pandemia" que existe o Pix, dá para acreditar?

Hoje em dia praticamente todas as propagandas de televisão nos pedem para baixar algo no celular. É aplicativo, código QR, pagamento eletrônico, atendimento por chat... está todo mundo querendo entrar na minha casa. E eu, querendo sair.

Uma multidão está tomando a segunda dose da vacina nesse momento. Hotéis estão em polvorosa. O varejo se prepara para a Black Friday. A indústria do entretenimento esfrega as mãos para tirar a barriga da miséria. Vamos! Mas vamos com calma e com muito cuidado, porque essa pandemia ainda não acabou.

Entre todas as partes do meu corpo que estão com saudade de alguma coisa, uma delas me incomoda constantemente: é aquela parte do cérebro responsável por ter novas ideias. Não sei como ela chama, mas a coitada está desesperada. Como um peixe que ficou 18 meses fora da água.

A criatividade não é algo que vive dentro de casa. Ela está lá fora. Está no grafite dos muros pela cidade, no assobio do feirante, no malabarista que pede dinheiro no farol. Está no carro da pamonha que passa gritando, nos olhos da criança que vê um pirulito no parque, nas manobras de skate que a menina faz na pista, nas ondas agitadas do mar, na roupa do rapper que está fazendo sua primeira apresentação para a galera.

Quem já foi a um show de sertanejo universitário lotado, a um cinema confortável, a uma peça de teatro emocionante, a uma cachoeira estonteante ou a um concerto maravilhoso sabe do que estou falando. As imagens que vemos através das telas nos contam um pedaço da história. Apenas um pedaço. Porque a sensação completa só conseguimos ao vivo. E são justamente essas experiências que fazem nossa cabeça soltar fogos de artifício. Sons, cheiros, texturas, gostos, formas, sensações. Coisas que nos encantam e nos inspiram.

Você sabe o que é essa foto?

einstein - Museu de Imagens - Museu de Imagens
Imagem: Museu de Imagens

É a estação de trabalho do Albert Einstein. Sempre achei minha mesa meio bagunçada, mas fiquei mais tranquilo quando conheci a dele. Einstein dizia que a sua forma de criar as coisas era conectando ideias diferentes. Por isso deixava tudo misturado propositalmente.

A pandemia nos deixou mais aprisionados em casa. E nossas ideias ficaram com a gente. Mas pouco a pouco a vida vai retomando. E, com ela, a nossa criatividade. Porque ao voltarmos a encontrar pessoas e viver experiências, teremos mais coisas para conectar.

Isso vai nos ajudar a achar novas soluções para problemas, novos ritmos, novos sabores, novos caminhos. As portas que estão se abrindo não são apenas as da nossa casa, mas também as das nossas mentes.

Vários países ainda estão com as fronteiras fechadas para brasileiros. Mas o mundo das boas ideias já se abriu para você. Está cansado de fazer as mesmas coisas? A dica para isso é simples: leve suas ideias para passear.

ideias - Felipe Tomazelli - Felipe Tomazelli
Imagem: Felipe Tomazelli

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL