Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Super Quarta: Decisão sobre juros no Brasil, nos EUA, e mais destaques

Esta é a versão online da newsletter Por Dentro da Bolsa enviada hoje (20). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

De olho na Super Quarta, investidores aguardam a decisão de juros no Brasil e nos EUA. O Copom (Comitê de Política Monetária) deverá anunciar, após as 18h30, um novo corte de juros. A aposta do mercado é de que a redução seja de 0,5 ponto percentual, indo de 13,25% para 12,75%. Além disso, é esperado que o Banco Central sinalize uma aceleração no ritmo de quedas. Nos EUA, a aposta é de manutenção dos juros.

Nos EUA, os futuros operam próximos da estabilidade à espera do anúncio do Fed. O Banco Popular da China decidiu manter as taxas de juros de referência inalteradas antes do anúncio de política monetária do Fed (Federal Reserve), nesta tarde. É esperado que o Banco Central dos EUA mantenha sua taxa básica no intervalo atual de 5,25% a 5,5%, mas os investidores estão atentos a sinais de possíveis aumentos futuros, visto que a inflação no país permanece acima da meta oficial de 2%. O presidente do Fed, Jerome Powell, indicará possíveis pistas sobre o que pode acontecer nas próximas reuniões. Hoje também serão divulgados os dados de estoques de petróleo dos EUA, que pode ter influência direta na commodity.

Bolsas operam em alta na Europa, com expectativa sobre juros americanos. O mercado também deve repercutir a desaceleração inesperada nos preços ao consumidor do Reino Unido. A CPI (taxa anual de inflação anual) ao consumidor britânica desacelerou para 6,7% em agosto, surpreendendo o mercado, que previa estabilidade. Na Alemanha, o PPI (índice de preços ao produtor) teve uma queda de 12,6% em agosto, a maior desde o início da série histórica, em 1949, informou a agência de estatísticas Destatis. No entanto, os dados não impedem que o Banco da Inglaterra eleve seus juros em 0,25 ponto percentual para 5,5%.

Na Ásia, as Bolsas fecharam em baixa nesta quarta. A China manteve suas principais taxas inalteradas e à espera da decisão do Fed. Na China continental, o dia também foi de perdas porque o Banco Central local, conforme previsto, preservou as LPR (taxas de juros de referência) de um ano em 3,45% e de cinco anos em 4,2%. Nesta sexta-feira (22), o Banco do Japão revisa sua política monetária, sem expectativa de mudanças. O índice japonês Nikkei caiu 0,66% em Tóquio, enquanto o Hang Seng recuou 0,62% em Hong Kong, e o Taiex registrou perda de 0,61% em Taiwan. O Xangai Composto teve queda de 0,52%, e o Shenzhen Composto cedeu 0,59%. Em Seul, o Hang Seng ficou praticamente estável nesta quarta, com alta marginal de 0,02%.

No mercado de commodities, as cotações do petróleo operam em baixa. Os preços do minério de ferro na China fecharam em alta após duas sessões consecutivas de perdas, uma vez que sinais de estabilização econômica no gigante asiático ajudaram a compensar as preocupações com o setor imobiliário em dificuldades no maior produtor de aço do mundo.

Weg distribuirá de R$ 250,973 milhões em juros sobre o capital próprio. Esse valor é equivalente a R$ 0,05 por ação da WEGE3, com pagamento em 13 de março de 2024. A data ex será no dia 25 de setembro.

Odontoprev aprova distribuição de R$ 20,5 milhões em juros sobre o capital próprio. Isso equivale a R$ 0,037 por ação da ODPV3. O pagamento será realizado em 19 de setembro. A partir de 25 de setembro, as ações serão negociadas sem direito aos juros sobre o capital próprio.

Continua após a publicidade

Ânima assina acordo com a fintech Pravaler. A parceria da ANIM3 prevê a cessão de direitos creditórios de diversas de suas instituições de ensino superior, relativos a financiamentos estudantis dos alunos do segmento Ânima Core. De acordo com fato relevante, o valor total líquido estimado a ser recebido para o conjunto das cessões é de aproximadamente R$ 55 milhões.

************

Veja o fechamento de dólar, euro e Bolsa na terça-feira (19):

Dólar: +0,34%, a R$ 4,872
Euro: +0,28%, a R$ 5,204
B3 (Ibovespa): -0,37%, aos 117.845,78 pontos

NA NEWSLETTER UOL INVESTIMENTOS

Os CDBs (Certificados de Depósito Bancários) ganharam mais espaço nos últimos anos, já que a renda fixa passou a pagar muito acima da inflação. Agora, com o corte na Selic para 13,25% ao ano, as taxas de rendimento desses ativos caíram. Ainda assim, continua acima da inflação. Na newsletter UOL Investimentos, você fica sabendo quanto poderá resgatar daqui um ano se investir R$ 1.000 hoje. Para se cadastrar e receber a newsletter semanal, clique aqui.

Continua após a publicidade

Queremos ouvir você

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes