Bolsas

Câmbio

Bovespa cai 0,58%, após forte alta na véspera e com votação de impeachment

Do UOL, em São Paulo

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, operou em alta durante parte do dia, mas inverteu o movimento e fechou esta quarta-feira (11) em queda de 0,58%, a 52.764,46 pontos. 

Na véspera, a Bolsa havia disparado 4,08%, na maior alta diária desde 17 de março.

Pesou bastante hoje o tombo de 4,5% das ações do Banco do Brasil, que divulga seu balanço do primeiro trimestre amanhã. 

Na semana, a Bovespa acumula alta de 2,02%; no mês, desvalorização de 2,13%. No ano, a alta acumulada é de 21,72%. 

A queda de hoje foi puxada pelo desempenho negativo das ações dos bancos Banco do Brasil e Itaú Unibanco, além do papel preferencial da Vale.

BB e Itaú caem

Os papéis do Banco do Brasil e do Itaú fecharam em queda. As ações do Banco do Brasil (BBAS3) tombaram 4,52%, a R$ 20,48.

As ações do Itaú Unibanco (ITUB4) perderam 0,62%, a R$ 32,31

Ações da Vale: uma sobe, outra cai

As ações preferenciais da Vale (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, fecharam em baixa de 0,84%, a R$ 13,02.

Os papéis ordinários, no entanto, fecharam no sentido oposto. As ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, subiram 0,44%, a R$ 15,94.

Petrobras sobe

As ações ordinárias da Petrobras (PETR3) tiveram alta de 0,47%, a R$ 12,91, enquanto as ações preferenciais da Petrobras (PETR4) ganharam 0,39%, a R$ 10,25. 

Além do cenário político (leia abaixo), os papéis foram influenciados pelo avanço dos preços do petróleo no mercado internacional.

Cenário político

Os investidores continuam de olho no cenário político. Hoje o Senado deve decidir se afasta Dilma Rousseff da Presidência. Caso o Senado acolha o pedido, a presidente pode ficar afastada por até 180 dias --se o julgamento não acabar nesse prazo, ela volta ao cargo. O vice-presidente Michel Temer assume a Presidência interinamente, com poderes plenos.

Se os senadores decidirem não levar adiante a cassação do mandato de Dilma, a denúncia é arquivada e fica extinto o processo contra a presidente.

As avaliações, até mesmo dentro do atual governo, são de que Dilma realmente será afastada. Se Temer assumir, ele já deixou claro que o ex-presidente do BC Henrique Meirelles assumirá o comando do ministério da Fazenda, o que tem agradado o mercado.

Dólar tem 2ª queda e fecha a R$ 3,446

No mercado de câmbio, o dólar comercial operou entre leves quedas e altas durante a sessão, mas fechou em baixa de 0,61%, a R$ 3,446 na venda. É a segunda desvalorização seguida. Na véspera, a moeda norte-americana havia caído 1,65%.

Na semana, o dólar acumula queda de 1,64%. No mês, tem alta de 0,16% e, no ano, desvalorização de 12,73%.

Bolsas internacionais

As principais Bolsas de Valores da Europa fecharam em queda, com exceção da Inglaterra. 

  • Itália: -1,32%
  • Espanha: -1,27%
  • Portugal: -1,11%
  • Alemanha: -0,7%
  • França: -0,5%
  • Inglaterra: +0,09%

As Bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem uma direção comum.

  • Austrália: +0,55%
  • China: +0,18%
  • Japão: +0,08%
  • Coreia do Sul: -0,12%
  • Taiwan: -0,25%
  • Cingapura: -0,3%
  • Hong Kong: -0,93%

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos