ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Cotações

Dólar cai 2,08% e fecha a R$ 3,935; Bolsa tem a maior alta em quase 2 anos

Do UOL, em São Paulo

02/10/2018 17h09Atualizada em 02/10/2018 17h42

O dólar comercial emendou o segundo recuo seguido e fechou em queda de 2,08% nesta terça-feira (2), a R$ 3,935 na venda, menor valor desde 17 de agosto (R$ 3,915). É a maior queda percentual diária em mais de três meses, desde 15 de junho (-2,15%).

Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 3,78%, a 81.593,85 pontos, maior nível em mais de quatro meses, desde 22 de maio (82.738,88 pontos). Foi o melhor resultado da Bolsa em quase dois anos, desde 7 de novembro de 2016, quando subiu 3,98%. 

Na véspera, o dólar havia perdido 0,47%, a R$ 4,018 na venda, e a Bolsa havia caído 0,91%, a 78.623,66 pontos.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Leia também:

Petrobras dispara quase 9%

A alta da Bolsa foi puxada sobretudo pelas ações de empresas estatais: Petrobras (+8,67%), Banco do Brasil (+11,41%) e Eletrobras (+11,45). 

Também registraram forte avanço os papéis do Bradesco (+5,82%), do Itaú Unibanco (+3,85%) e da operadora de planos de saúde Qualicorp (+10,91%). 

As únicas empresas do Ibovespa que caíram nesta terça foram as companhias de papel e celulose Suzano (-3,75%) e Fibria (-1,93%) e a fabricante de bebidas Ambev (-1,14%).

De olho nas eleições

O mercado continua sendo afetado pelos desdobramentos da campanha eleitoral para a Presidência da República. Segundo levantamento do Ibope divulgado na segunda-feira (1º), Jair Bolsonaro (PSL) subiu de 27% para 31% das intenções de voto, enquanto o petista Fernando Haddad manteve 21%. 

Em segundo turno, Bolsonaro empataria com Haddad em 42%. A pesquisa anterior mostrava vantagem do petista, com 42%, contra 38% de Bolsonaro. 

Resultados de pesquisas, notícias sobre candidatos e boatos deixam o mercado financeiro agitado, favorecendo a especulação na Bolsa de Valores e no câmbio.

O mercado prefere candidatos com viés mais reformista e entende que aqueles com agenda mais à esquerda não se enquadram nesse perfil. Assim, sua opção neste momento está em Jair Bolsonaro, principalmente pelas ideias de seu assessor econômico Paulo Guedes. As atenções agora se voltam para os números do Datafolha que saem nesta terça-feira. 

Atuação do BC

O Banco Central ofertou e vendeu integralmente nesta sessão 7.700 swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 770 milhões do total de US$ 8,027 bilhões que vence em novembro. 

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

(Com Reuters)