ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Cotações

Dólar cai 0,5% e fecha a R$ 3,74, após duas altas seguidas; Bolsa perde 1%

Do UOL, em São Paulo

07/11/2018 17h13Atualizada em 07/11/2018 18h30

O dólar comercial fechou esta quarta-feira (7) em queda de 0,5%, cotado a R$ 3,74 na venda, após duas altas seguidas. Na véspera, a moeda norte-americana subiu 0,83% e atingiu o maior valor de fechamento desde 11 de outubro (R$ 3,779).

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em baixa de 1,08%, a 87.714,35 pontos. É a segunda desvalorização consecutiva da Bolsa, que caiu 1,04% na véspera.

Leia também:

Magazine Luiza cai 4,8%

Após tombar 8,36% na véspera, as ações do Magazine Luiza voltaram a cair nesta quarta. Desta vez, os papéis da varejista perderam 4,79%, ainda afetados pelo resultado do terceiro trimestre da empresa, divulgado na noite de segunda-feira (5).

Também pesaram no desempenho da Bolsa nesta sessão as quedas da Petrobras (-3,27%), do Banco do Brasil (-2,4%) e do Bradesco (-1,94%). Por outro lado, as ações da mineradora Vale (+0,63%) e do Itaú Unibanco (+0,1%) fecharam em alta.

Transição de governo

Internamente, investidores seguiam monitorando o noticiário político. O mercado estava insatisfeito com a indefinição sobre se Ilan Goldfajn segue ou não à frente do comando do Banco Central. Além disso, havia uma tensão com a possibilidade de o Senado pode votar nesta quarta-feira projeto de lei que aumenta o salário dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Nesta quarta-feira, o presidente Michel Temer e o presidente eleito, Jair Bolsonaro, também se reúnem e podem tratar da reforma da Previdência.

Cenário externo

No exterior, investidores repercutiam o resultado das eleições para o Congresso dos Estados Unidos, com vitória do Partido Democrata na Câmara dos Deputados. Dessa forma, o presidente norte-americano, Donald Trump, terá mais dificuldade para aprovar medidas na Casa, entre elas uma nova rodada de redução de impostos para empresas.

Sem novas reduções de impostos, o mercado aposta que os juros nos EUA devem subir em ritmo mais lento. Juros maiores nos EUA podem atrair para lá recursos atualmente aplicados em outras economias, como a brasileira.

Atuação do BC

O Banco Central vendeu nesta sessão 13,6 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 2,72 bilhões do total de US$ 12,217 bilhões que vencem em dezembro.

(Com Reuters)