IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Cotações


Bolsa cai 0,65%, ao menor nível em 3 semanas; dólar sobe e fecha a R$ 3,969

Do UOL, em São Paulo

07/05/2019 17h15Atualizada em 07/05/2019 17h41

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou o dia em queda de 0,65%, a 94.388,73 pontos, no segundo recuo seguido. É o menor patamar em três semanas, desde 17 de abril, quando o índice ficou em 93.284,75.

O dólar comercial fechou em alta de 0,29%, cotado a R$ 3,969 na venda. É a maior cotação em duas semanas, desde 24 de abril, quando a moeda norte-americana encerrou o dia a R$ 3,986.

O dólar chegou a encostar em R$ 4 ao longo do dia, mas depois passou a subir menos. O valor da moeda divulgada diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Taurus sobe mais de 10%

As ações da fabricante de armas Forja Taurus dispararam e fecharam em alta de 10,45%. A empresa não faz parte do Ibovespa.

O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje decreto que flexibiliza regras para registro, posse, porte e comercialização de armas de fogo no país para atiradores esportivos.

Mercado de olho na reforma da Previdência

O mercado voltou as atenções para o início dos trabalhos na comissão especial da Câmara dos Deputados sobre a reforma da Previdência. Na primeira reunião, o presidente da comissão, Marcelo Ramos (PR-AM), e o relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), decidiram não definiram uma data para a votação do relatório.

Alguns partidos já decidiram como vão votar na comissão, mas o Centrão, importante bloco parlamentar, deve exigir mudanças no texto para aprová-lo.

A comissão especial tem o papel de analisar e fazer eventuais mudanças na proposta do governo. Investidores estão cautelosos porque temem que alterações possam desidratar o texto e reduzir a economia estimada, que é de R$ 1,2 trilhão em dez anos.

BC decide juros esta semana

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central começou hoje a sua reunião de dois dias para definir a nova taxa básica de juros no país.

O anúncio será feito amanhã, e o mercado espera a manutenção da Selic no atual patamar, de 6,5% ao ano, em meio ao ritmo lento de recuperação da economia.

Na sessão de hoje, o BC vendeu todos os 5.050 swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares. Em quatro leilões, o BC já rolou US$ 1,01 bilhão, de um total de US$ 10,089 bilhões a expirar em julho. O estoque de swaps do BC no mercado é de US$ 68,863 bilhões.

Trump ameaça subir taxa a produtos chineses

No exterior, os mercados operaram com mais tranquilidade depois que a China confirmou que o vice-primeiro-ministro, Liu He, visitará os Estados Unidos nesta semana para negociações comerciais, após ameaças do presidente norte-americano, Donald Trump.

O representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, no entanto, disse que o aumento de tarifas, anunciado para sexta-feira (10), está mantido. Há grande expectativa por essas negociações, uma vez que ainda não está claro qual tom a delegação chinesa adotará após as declarações de Trump.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Mais Cotações