IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Cotações


Cotações

Bolsa cai quase 2% e dólar sobe a R$ 3,853, com incerteza sobre Previdência

Do UOL, em São Paulo

2019-06-25T17:12:59

2019-06-25T17:34:43

25/06/2019 17h12Atualizada em 25/06/2019 17h34

As incertezas sobre a aprovação da reforma da Previdência levaram o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, a interromper uma sequência de quatro altas seguidas e terminar o dia em baixa de 1,93%, aos 100.092,95 pontos. Foi a maior queda percentual em um único pregão desde 13 de maio (-2,69%). Ontem, o índice havia registrado novo recorde, ao atingir 102.062,33 pontos.

O dólar comercial fechou em alta de 0,69%, cotado a R$ 3,853 na venda, maior valor em uma semana. O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Reforma da Previdência

Investidores acompanharam os debates sobre o parecer da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje que pretende conversar com governadores e tentar chegar a um acordo para incluir estados e municípios na proposta ainda na comissão especial.

Ele espera chegar a um consenso em relação a esse tema antes mesmo da leitura da complementação de voto do relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Assim, a votação do texto no colegiado poderá ficar para a próxima semana.

Além disso, líderes dos partidos do Centrão estudam pedir vistas e atrasar a votação da proposta de reforma da Previdência, caso haja alguma alteração no parecer apresentado pelo relator.

Cenário externo

O dólar ampliou a alta frente às principais moedas no mundo depois de comentários de membros do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) sinalizarem menores chances de cortes de juros.

O presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que a instituição está "isolada" de pressões políticas, o que foi interpretado pelo mercado como uma referência à pressão do presidente norte-americano, Donald Trump, por redução de juros.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Mais Cotações