IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Cotações


Dólar emenda 2ª queda, cotado a R$ 3,833; Bolsa fecha quase estável

Do UOL, em São Paulo

27/06/2019 17h07Atualizada em 27/06/2019 18h09

O dólar comercial fechou o dia em queda de 0,36%, cotado a R$ 3,833 na venda, no segundo recuo seguido. O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou quase estável, com leve alta de 0,04%, a 100.723,97 pontos, no segundo avanço consecutivo. Na semana passada, o Ibovespa fechou acima dos 100 mil pontos pela primeira vez na história. Apesar do marco, o recorde é apenas nominal. Considerando a inflação, a Bolsa ainda está longe do nível registrado em 2008.

Pão de Açúcar dispara 11%

As ações do Grupo Pão de Açúcar lideraram os ganhos do Ibovespa, com alta de 11,26%, após proposta do controlador Casino de uma reorganização dos ativos do grupo francês de varejo na América Latina. O plano inclui a compra pela companhia brasileira da rede colombiana Éxito e a migração da empresa para o segmento Novo Mercado, da Bolsa.

Ex-Eletropaulo sobe 35%

Os papéis da Enel Distribuidora, antiga Eletropaulo fecharam em alta de 35,01%, após a controladora da companhia, a elétrica italiana Enel, divulgar que fará uma nova oferta pública de aquisição (OPA) para todas as ações da empresa que não estão em suas mãos.

A Enel não faz parte do Ibovespa.

Reforma da Previdência

O mercado foi afetado pelo cancelamento da sessão marcada para hoje na comissão especial sobre a reforma da Previdência. O cancelamento adiou a votação da matéria no colegiado para a próxima semana. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o relator da proposta, Samuel Moreira (PSDB-SP), disseram que o adiamento não prejudica o calendário e a previsão de votar a proposta ainda antes do recesso no plenário da Câmara.

"[Mas] na prática o atraso dificulta muito a votação no plenário antes do recesso, que começa dia 18 de julho", avaliaram economistas da XP Investimentos, em nota.

Cenário externo

Investidores também têm no radar o exterior, em especial a cúpula do G20, que começa amanhã.

O mercado externo piorou suas expectativas após o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, dizer que os EUA podem avançar com a imposição de tarifas adicionais sobre produtos chineses, em mais um possível episódio da guerra comercial entre os dois países.

Atuação do Banco Central

Nesta quinta, o BC concluiu a rolagem dos US$ 10,089 bilhões em contratos que expirariam em 1º de julho.

O presidente do banco, Roberto Campos Neto, disse hoje que o órgão vai intervir quando houver algum problema de liquidez no mercado de dólar e que não é contra nenhum instrumento cambial. Segundo ele, as atuações ocorrem de acordo com a demanda do mercado.

(Com Reuters)

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

Cotações