PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Cotações

Bolsas dos EUA fecham em queda de até 8% em dia de "circuit breaker"

Do UOL, em São Paulo

18/03/2020 07h08Atualizada em 18/03/2020 17h12

As Bolsas internacionais registraram mais um tombo nesta quarta-feira (18), com investidores cada vez mais preocupados com os efeitos do combate ao novo coronavírus na economia mundial. O risco de uma recessão preocupa os mercados.

Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones fechou em queda de 7,66%, o S&P 500 perdeu 6,57%, e o Nasdaq, 5,97%. Os índices chegaram a ser suspensos por 15 minutos depois que o S&P 500 caiu 7%. Foi a segunda suspensão nesta semana.

"Estamos em modo de pânico aqui", disse Peter Cardillo, economista-chefe de mercado da Spartan Capital Securities, em Nova York. "O medo de, talvez, a deflação se estabelecer, é provavelmente uma das razões pelas quais o mercado está agindo do jeito que está."

Bolsas da Europa

As principais Bolsas da Europa fecharam em queda, no seu pior encerramento em quase sete anos.

O índice FTSEEurofirst 300 caiu 4,13%, e o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 3,92%. O STOXX 600 perdeu um quarto de seu valor em março, e caminha para o pior mês na história após o epicentro do vírus ter passado da China para a Europa.

As ações de petróleo e gás, que estão entre as mais afetadas pelo surto, por conta da queda dos preços do petróleo com a menor demanda, encerraram em mínima de 24 anos.

O setor industrial marcou perdas acentuadas em meio a pedidos de resgate de US$ 60 bilhões da indústria aeroespacial dos EUA, com analistas do JP Morgan afirmando que levará anos para o setor se recuperar.

Dado que várias empresas europeias dependem da demanda norte-americana por serviços e peças de engenharia, uma desaceleração da atividade industrial nos EUA provocará ondulações em toda a Europa.

"Provavelmente já estamos em recessão. Não vejo como evitar isso em ambos os lados do Atlântico", disse Cameron Brandt, diretor de pesquisa do provedor de dados de fluxo de fundos EPFR.

  • Em Londres, o índice Financial Times recuou 4,05%
  • Em Frankfurt, o índice DAX caiu 5,56%%
  • Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 5,94%
  • Em Milão, o índice Ftse/Mib se desvalorização de 1,27%
  • Em Madri, o índice Ibex-35 registrou baixa de 3,44%
  • Em Lisboa, o índice PSI20 desvalorizava-se 5,04%

Bolsas da Ásia também caíram

Na Ásia, os índices acionários da China reverteram os ganhos anteriores e fecharam em baixa hoje. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 1,98%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 1,83%.

Ambos os índices chegaram a ganhar mais de 1% no início da sessão, depois que Pequim sinalizou suporte para seus mercados financeiros para lidar com o impacto econômico da pandemia.

A alta volatilidade nos mercados externos devido ao contínuo contágio por coronavírus fora da China e à guerra de preços do petróleo teve um impacto negativo sobre os mercados de capitais da China, disse em nota Shen Yandong, analista do Vanho Securities.

  • Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 1,68%, a 16.726 pontos
  • Em Hong Kong, o índice HANG SENG caiu 4,18%, a 22.291 pontos
  • Em Xangai, o índice SSEC perdeu 1,83%, a 2.728 pontos
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, retrocedeu 1,98%, a 3.636 pontos
  • Em Seul, o índice KOSPI teve desvalorização de 4,86%, a 1.591 pontos
  • Em Taiwan, o índice TAIEX registrou baixa de 2,34%, a 92.218 pontos
  • Em Singapura, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 1,18%, a 2.425 pontos
  • Em Sydney o índice S&P/ASX 200 recuou 6,43%, a 4.953 pontos

* Com AFP e Reuters

Cotações