PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Cotações

Dólar fecha em queda de 0,88%, a R$ 5,449; Bolsa fica quase estável

É a sétima baixa registrada pelo dólar nas últimas nove sessões; em abril, a moeda acumula desvalorização de 3,2% - Bill Oxford/Getty Images
É a sétima baixa registrada pelo dólar nas últimas nove sessões; em abril, a moeda acumula desvalorização de 3,2% Imagem: Bill Oxford/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

26/04/2021 17h24Atualizada em 26/04/2021 19h20

Em meio à expectativa para a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid-19, o dólar comercial abriu a semana em queda de 0,88%, terminando o dia cotado a R$ 5,449 na venda. É a sétima baixa registrada nas últimas nove sessões, em um mês em que a moeda americana acumula desvalorização de 3,2% frente ao real.

Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), fechou o dia praticamente estável, com leve alta de 0,05%, aos 120.594,61 pontos. Abril tem sido um mês positivo para o índice, que subiu 3,4% desde o dia 1º.

O destaque de hoje ficou com as ações da Cia Hering (HGTX3), que dispararam 26,19% após o anúncio da fusão com o Grupo Soma, dono da Farm. As maiores baixas, em contrapartida, foram registradas por Carrefour (CRFB3) e RaiaDrogasil (RADL3): -2,21% para ambas.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Investidores estão atentos à agenda agitada da semana, que inclui a esperada instalação da CPI da Covid, prevista para amanhã, com a provável escolha dos senadores Omar Aziz (PSD-AM) e Renan Calheiros (MDB-AL) como presidente e relator, respectivamente, além de uma enxurrada de dados econômicos do Brasil e dos Estados Unidos.

No âmbito doméstico, é esperada a divulgação dos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) sobre a criação de empregos formais em março e, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), da taxa de desemprego no país em fevereiro.

Também estava no radar a notícia de que o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL),anunciou que uma primeira versão da reforma tributária será apresentada na próxima segunda (3). Nas redes sociais, ele reforçou que o Congresso tem o compromisso de votar ainda neste ano as reformas tributária e administrativa.

"Temos o compromisso das duas Casas [Câmara e Senado] de votar este ano as duas reformas. Procurarei o ministro Paulo Guedes [Economia] para falar sobre a reforma tributária", publicou Lira.

(Com Reuters)

Cotações